Pauta de reivindicações

Acompanhe em tempo real a negociação do ACT 2022

Nesta segunda-feira, 20/06 às 13:30h acontece reunião presencial da mesa de negociação com o RH do Sistema Petrobrás. Os representantes da categoria devem receber a primeira contraproposta à pauta de reivindicações para os ACTs da Petrobrás e subsidiárias (Transpetro, PBio, TBG e Termobahia) que foi definida na 10ª Plenafup (Plenária Nacional da FUP), e entregue e protocolada no último dia 2 de junho.

Os petroleiros e petroleiras anteciparam as negociações do ACT para engajar a categoria nas lutas contra a privatização da Petrobrás e na campanha eleitoral, que será definidora para os trabalhadores brasileiros.

Apresentação Proposta – 20/06/2022

Carta RH_RS_NS-0271 – 2022 – FUP – Negociação ACT 2022

Proposta Petrobrás – 20/06/2022


Acompanhe o RADAR FUP e saiba em primeira mão o que acontece na mesa de negociação do ACT

13:40

“Inicia agora a primeira reunião de mesa única do ACT 2022, após duas tentativas e cancelamentos por parte da gestão da Petrobrás. Após a entrega das pautas pela FUP e FNP, no dia 02 de junho, a empresa postergou duas vezes as reuniões que ocorreriam no prédio da Petrobrás, no Rio de Janeiro, e transferiu para a data de hoje, em um hotel, no centro da cidade”.

13:45

“Estão presentes os representantes das empresas das áreas do RH Petrobrás, RH Transpetro, RH PBio e RH TermoBahia. O RH da TBG não pôde estar presente”.

13:50

“O coordenador da FUP, Deyvid Bacelar, relembra a fragilidade que a empresa encontra-se sem que um Presidente permaneça no cargo e fez a crítica ao governo com a saída do atual presidente, inclusive, nesta segunda-feira. De acordo com ele, esta instabilidade do governo se reflete na Petrobrás, com o projeto de privatização. Reflete também, no processo de negociação do Acordo Coletivo da categoria petroleira”.

13:55

O coordenador da FUP cita os pontos de pauta indicados pela Federação na sua proposta, apresentada no dia 02 para a empresa:

1. Reposição da inflação e das perdas salariais dos últimos acordos
2. Garantia no emprego
3. Resolução dos pontos soltos do ACT (fórum de efetivos, teletrabalho, HETT, banco de horas, tabela de turno, AMS)
4. Restabelecimento do Fundo Garantidor para proteção dos direitos dos trabalhadores terceirizados
5. Realização de um Fórum Nacional para discutir a terceirização no Sistema Petrobrás
6. Resgate da AMS (garantia da margem consignável de 13%, restabelecimento da relação de custeio 70×30, buscar uma alternativa para o atual índice de reajuste das tabelas)
7. Valorização da função dos brigadistas e fortalecimento das brigadas
8. Exames periódicos para prevenção das sequelas decorrentes da Covid-19
9. Garantia incondicional do Direito de Recusa
10. Licença paternidade de 60 dias
11. Proteção das trabalhadoras lactantes, com afastamento das áreas insalubres pelo tempo em que estiver amamentando
12. Defesa da Petros
13. Garantia da liberdade sindical

13:58

“Deyvid: “A FUP sempre se esforça ao máximo para resolver tudo em mesa de negociação. Caso não seja conquistado em mesa, após não haver mais alternativas, aí sim damos outros encaminhamentos”.

13:59

O assessor econômico da FUP pelo DIEESE, Cloviomar Cararine, faz uma apresentação para os presentes da conjuntura política e econômica da atual estrutura da Petrobrás e de seus trabalhadores e trabalhadoras.

14:08

Após a apresentação do DIEESE, o coordenador da FUP fez um adendo “é um absurdo que o lucro da Petrobrás vá quase que em sua totalidade para o exterior e para seus acionistas, sem a criação de novas políticas para benefício do país e da população brasileira”.

14:12

A Petrobrás inicia agora a sua apresentação sobre a proposta da empresa. O representante da empresa informa que a intenção deles também é encerrar o processo em mesa de negociação, até 31/08″.

14:23

“A proposta da Petrobrás é de reajuste de 5% na tabela de salário básico, RMNR, adicional de permanência no Amazonas, VA/VR. A partir de 1/09. Para os benefícios educacionais e programa jovem universitário, o reajuste também de 5%, a partir de Janeiro/2023.”

14:28

Sobre os assuntos:

Gratificação de campo terrestre de produção: descontinuidade.

Serviço extraordinário: acréscimo de 50%, exceto em caso em que a legislação preveja diferente.

Banco de horas: todas horas extras serão creditadas no banco de horas

Feriado turno: remunerado com acréscimo de 50% 1 de janeiro, segunda e terça carnaval até meio dia de quarta-feira, 1 de maio e 25 de dezembro, suprimindo feriados.

Hora extra troca de turno: de 75% para 50% adequado a legislação

14:36

Sobre a AMS, a direção da Petrobrás quer retirar os itens relacionados à AMS do ACT, deixando a gestora do Plano a APS. Com um custeio de 50X50. Além disso: Aumenta a margem de 30% para 40% e oficializa descontos além dessa margem.

14:40

Segurança no emprego: Exclusão do parágrafo 4⁰, cláusula 42 para a inclusão de uma nova cláusula para: “Gestão ativa de portfólio”.

14:47

Condições de trabalho:
Jornada de trabalho TIR – turno ininterrupto de trabalho nas areas administrativas/não industrial em ambiente nao confinados: a empresa poderá implementar o turno de revezamento de 12h mantendo a relação de folga 1×1

Teletrabalho: a empresa quer aprender e promover o seu aperfeiçoamento antes de regrar no ACT

15:05: Vigência do acordo de 01 ano com manutenção da data-base em 01/09/2022.

WhatsApp Image 2022-06-20 at 2.57.41 PM (2) WhatsApp Image 2022-06-20 at 2.57.49 PM WhatsApp Image 2022-06-20 at 2.57.36 PM
<
>
15:00

O diretor da FUP, Paulo Cardoso, questionou sobre a proposta apresentada pelo Sindipetro Caxias que trata do Adicional de Gasodutos da Transpetro. Já havia sinalização de avanço na negociação por parte do presidente da empresa, porém o gerente da Transpetro disse que não houve avanços na negociação e será apresentada a última proposta da empresa, que acaba com este adicional se não se adequar a cláusula.

15:05

A diretora da FUP, Cibele Vieira, questionou a empresa quanto a mudança na cláusula do ACT da manutenção do emprego, tendo em vista a redução brusca do efetivo no atual cenário político. Todos os itens que foram apresentados pela empresa retrocederam: “Do que adianta falar que querem debater em mesa o acordo, se a proposta é na íntegra de retrocesso para o trabalhador? Enquanto vocês pedem resiliência para os sindicatos, a Petrobrás pagou hoje a primeira parcela dos lucros aos acionistas. Da forma que foi apresentada, a proposta da empresa é um começo muito ruim para a negociação”.

15:15

A diretora da FUP, Andressa Delbons, lembrou a todos e todas da importância em destacar no acordo coletivo a licença paternidade de 60 dias e a proteção das trabalhadoras lactantes, com afastamento das áreas insalubres pelo tempo em que estiver amamentando, pela preservação da mãe e do bebê.

15:19

O diretor de SMS da FUP e do Sindipetro NF, Raimundo Teles, alertou sobre a necessidade da valorização da vida dos trabalhadores da empresa, tanto da integridade física quanto mental, além da valorização da função dos brigadistas e fortalecimento das brigadas.

Lembrou também da necessidade de exames periódicos para prevenção das sequelas decorrentes da Covid-19.

15:25

O diretor da FUP, Paulo Neves, questionou a falta de vergonha da empresa em apresentar uma proposta com o reajuste muito abaixo da inflação e da realidade do país, tendo em vista as marcas salariais que já vem ocorrendo ao longo dos anos.

Reafirmou também sobre a importância da AMS estar regulada dentro do ACT e não somente a sua gestão: “A saúde do trabalhador não pode ser considerada um custo para a companhia quando ela é um investimento, pois um trabalhador saudável produz mais e melhor. Sem contar os diversos problemas de saúde que são consequências da profissão de quem troca a sua vida pela empresa”. O diretor afirmou: “O plano já é um plano de alto custo para muitos trabalhadores, e não gostaríamos de perder ainda mais, inclusive, o ideal seria reverter para o 70×30. Precisamos também discutir o índice de reajuste, pois o VCMH nos castiga com reajustes altos”.

15:36

Deyvid Bacelar: “a partir da proposta apresentada, iremos convocar o Conselho deliberativo da FUP, que deverá encaminhar o indicativo para as assembleias de rejeição dessa contraproposta da empresa. Saímos desta reunião indignados. E a decepção dos trabalhadores será grande”.

Encerrada a reunião.