FUP cobra que presidente Lula não permita entrega dos campos terrestres

Quinta, 25 Março 2010 21:00
A FUP cobrou diretamente ao presidente Lula que interceda para que os parlamentares da base do governo retirem as mudanças...

Imprensa da FUP

Os projetos de lei do Executivo para o pré-sal, que prevêem a adoção do sistema de partilha de produção e a capitalização da Petrobrás, receberam duas alterações que colocam em risco os campos terrestres de produção de petróleo. A mudança no relatório do projeto de capitalização da Petrobrás permite à empresa devolver à União, como forma de ressarcimento, até 100 milhões de barris de óleo dos campos terrestres. Já a alteração no relatório do projeto de partilha prevê que o governo federal incremente a participação de empresas de pequeno e médio porte na exploração, desenvolvimento e produção de petróleo e gás. Juntando uma com a outra, ambas as mudanças significam a entrega às empresas privadas de campos estratégicos de petróleo e o esvaziamento econômico de vários estados, com impacto, principalmente no Nordeste do país, caso a Petrobrás interrompa suas atividades de exploração e produção terrestre.

A FUP e seus sindicatos vêm se mobilizando contra as tentativas de esvaziamento e entrega dos campos terrestres desde setembro do ano passado, quando os projetos do Executivo ainda estavam em análise nas comissões especiais da Câmara dos Deputados Federais. Apesar da FUP ter conseguido barrar o lobby dos privatistas em algumas comissões, como a que analisou o projeto da partilha, os relatórios foram alterados durante a votação no plenário. A luta agora é para impedir que os projetos sejam aprovados no Senado com estas alterações.

Alerta ao presidente Lula

A FUP cobrou diretamente ao presidente Lula que interceda para que os parlamentares da base do governo retirem as mudanças feitas nos relatórios dos projetos apresentados pelo Executivo. A reivindicação foi feita nesta sexta-feira, 26, durante a inauguração do GASENE, em Itabuna, na Bahia, quando dirigentes da FUP e do Sindicato dos Químicos e Petroleiros do estado alertaram o governo sobre a tentativa de entrega dos campos terrestres. Durante a cerimônia, a Federação entregou ao presidente documento assinado em conjunto com os seus sindicatos do Norte, Nordeste e Espírito Santo, onde ressalta a importância dos campos terrestres de petróleo para o desenvolvimento destas regiões. O documento destaca que a Petrobrás não pode ser impelida a "trocar o Nordeste dos campos terrestres pelo Sudeste do pré-sal".

No texto, a FUP chama a atenção para a importância estratégica dos investimentos da Petrobrás nos campos terrestres de petróleo, que geram emprego e renda para os estados da Bahia, Rio Grande do Norte, Ceará, Sergipe, Alagoas, Amazonas e Espírito Santo. Os campos operados pela Petrobrás fomentam uma série de investimentos locais que têm contribuído para o desenvolvimento destes estados. "Se forem aprovadas as mudanças feitas pelos deputados nos relatórios dos projetos do Executivo, a decadência volta, assim como a exploração desordenada, sem qualquer compromisso com o futuro. Esses estados perderão, se não o principal, um dos principais indutores do desenvolvimento local: a Petrobras", ressaltam a FUP e seus sindicatos no documento entregue ao presidente Lula.

 

 

 

Publicado em Últimas Notícias

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.