FUP e Petrobrás iniciam negociação para regramento das PLRs futuras

Terça, 16 Junho 2009 21:00
Nesta quarta-feira, 17, a FUP e a Petrobrás iniciaram a negociação dos indicadores e metas para regramento...

Imprensa da FUP

Nesta quarta-feira, 17, a FUP e a Petrobrás iniciaram a negociação dos indicadores e metas para regramento das PLRs futuras, tomando como base a proposta aprovada pela categoria e que foi apresentada à empresa no ano passado. O grupo de negociação é composto por seis representantes da FUP e seis da Petrobrás, além de suas assessorias. Os representantes da Federação são Francisco José de Oliveira (Norte Fluminense), Jorge Machado Freitas (Bahia), Marcondes Muniz Araújo (Ceará), Paulo César Martin (Bahia), Paulo Neves (Oposição Pará) e Simão Zanardi (Duque de Caxias).

 
Na reunião desta quarta-feira, foram discutidas as premissas que deverão nortear os indicadores da PLR, como a facilidade de mensuração e acompanhamento pelos trabalhadores, que possam ser divulgados ao público externo (transparência) e o fato de estarem relacionados à atividade operacional da Petrobrás. Também ficou definido que serão estabelecidos de cinco a oito indicadores, no máximo.
 
Na próxima reunião, agendada para o dia 29 de junho, a FUP e a empresa darão continuidade à análise dos indicadores propostos pelos trabalhadores, com base nas premissas discutidas. A Petrobrás também apresentará à FUP os indicadores que têm sido historicamente utilizados pela empresa em seu planejamento estratégico, assim como os resultados obtidos nos últimos anos para cada um desses indicadores. 
 
A previsão de conclusão da negociação é o dia 15 de agosto, mas a Federação entende que este processo deve se estender no máximo até o final de julho. Acesse aqui a íntegra da proposta para regramento das PLRs futuras que foi aprovada pela categoria.
Publicado em Últimas Notícias

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.