CGTB manifesta apoio público à luta em defesa do pré-sal e contra a CPI da Petrobrás

Quinta, 21 Maio 2009 21:00
A CPI instalada no Senado no dia 15 nada mais é do que a tentativa de denegrir a Petrobrás...

CGTB

A CPI instalada no Senado no dia 15 nada mais é do que a tentativa de denegrir a Petrobrás e manter a atual Lei 9.478/97 e atender os interesses da Exxon, Chevron, Shell, British Petroleum e congêneres, uma vez que está próxima a definição da nova Lei do Petróleo.

Quem investiu e descobriu as gigantescas reservas de petróleo no pré-sal foi a Petrobrás. Foram anos de pesquisa e obstinada perseverança para desenvolver tecnologia capaz explorar o pré-sal a 8 mi metros de profundidade. Essa façanha da estatal deixou clara a necessidade da imediata mudança da Lei do Petróleo, para que essas fabulosas riquezas possam conduzir o país à independência e à justiça social.

Mesmo antes da descoberta do pré-sal, a Petrobrás já havia se tornado um verdadeiro símbolo do Brasil e da capacidade do povo brasileiro. Por sua atuação, o setor do petróleo já alcança quase 10% do PIB brasileiro, sendo responsável, inclusive, por grande parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Na gestão neoliberal de Fernando Henrique, a Petrobrás teve que enfrentar e derrotar, junto com o povo brasileiro, oito anos de sabotagem, boicote, tentativa de privatização e até a mudança de nome.

As descobertas do pré-sal vão dotar o Brasil com uma das maiores reservas de petróleo do mundo. As multinacionais detêm apenas 3% das reservas e por isso estão pressionando para impedir as mudanças na lei em nosso país e avançar sobre o pré-sal.

Para a CGTB, é preciso estabelecer de forma clara e definitiva: a propriedade das reservas do pré-sal é da União e a Petrobrás, sua única operadora.

Publicado em Últimas Notícias

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.