Quadro nacional da greve dos petroleiros nesta terça-feira, 24/03

Segunda, 23 Março 2009 21:00
Acompanhe o quadro nacional da greve dos petroleiros neste segundo dia de paralisação das atividades no Sistema Petrobrás...

Acompanhe o quadro nacional da greve dos petroleiros neste segundo dia de paralisação das atividades no Sistema Petrobrás:

 

Pará

Corte na rendição dos turnos desde à zero hora do dia 23.

Província Petrolífera de Urucu  - a produção permanece reduzida com o controle da produção na mão dos grevistas.

 

Amazonas

Reman – trabalhadores continuam sem assumir o turno. A refinaria está sob controle da equipe de contingência da Petrobrás

Terminal de Solimões – trabalhadores grevistas continuam com o controle da produção.

 

Ceará

LUBNOR – corte de rendição continua. Trabalhadores do turno de domingo à tarde continuam sendo retidos na fábrica.

Fazenda Belém - corte de rendição permanece.

Unidade de Biodiesel de Quixadá – permanece corte de rendição

Plataformas - trabalhadores de Curimã, Xaréu e Atum buscam o controle da produção.

 

Rio Grande do Norte

Plataformas – trabalhadores controlam 70% da produção.

Campos terrestres – trabalhadores estão realizando concentrações com participação dos terceirizados. No Alto do Rodrigues e Mossoró, petroleiros aderiram à greve.

Pólo de Guamaré - os trabalhadores controlam a produção em todas as unidades de processamento de gás e óleo. Apenas uma UPGN está em atividade, com carga mínima.

 

Pernambuco

Suape - 100% paralisado, com trabalhadores próprios e terceirizados na greve, desde à zero hora do dia 23.

Paratibe – gasoduto sob controle dos trabalhadores.

 

Sergipe

Sede: 60% do administrativo aderiram à greve.

FAFEN: controlada 100% pelos trabalhadores. 100% em greve.

Carmópolis: 90% dos trabalhadores da produção em greve e 70% do administrativo. Sem rendição de turno hoje, 24/03, pela manhã.

TECARMO/Atalaia: 100% do turno e 40% do administrativo.

 

Alagoas

Pilar: adesão de 90% do turno.

Furado: assembléia hoje.

Transpetro: 100% de adesão no gasoduto .

 

Bahia

Rlam – trabalhadores do turno das 07h30 de domingo (22) permanecem sendo mantidos na refinaria. Não há troca de turno, mesmo com o interdito proibitório ingressado pela Petrobrás. Os trabalhadores do administrativo e terceirizados também aderiram à greve.

 

Fafen – continua sem rendição no turno.

Campos de produção – três campos pararam a produção, nos municípios de Entre Rios e Esplanada. São os campos de Jandaia, Sertres e Rou. Jandaia é o maior campo de produção do estado. Os trabalhadores terceirizados participam ativamente da greve.

Terminal Madre de Deus – continua sem rendição no turno, desde às 15h30 de domingo (22). A planta de gás já foi parada e a transferência de nafta, também. Os trabalhadores não estão sendo substituídos e as atividades do terminal estão sendo interrompidas.

 

Minas Gerais

Regap – trabalhadores do turno das 15h30 de domingo (22) continuam sendo retidos na refinaria, apesar do sindicato ter obtido liminar obrigando a Petrobrás a negociar efetivo.

Unidade de Biodiesel de Montes Claros – houve corte de rendição nesta terça-feira, pela manhã.

 

Espírito Santo

PPR-1– trabalhadores entregaram a plataforma parada na segunda (23) para a equipe de contingência.

Linhares e São Mateus –

 

Duque de Caxias

Reduc – refinaria continua retendo trabalhadores do Grupo A de domingo.

 

Norte Fluminense

Bacia de Campos – equipes de contingência assumiram o controle das 28 plataformas que aderiram à greve.

Terminal de Cabiúnas – trabalhadores assumiram o controle do terminal por 13 horas e foram coagidos a entregar a unidade para a equipe de contingência.

 

Rio de Janeiro

No  Terminal da Baía de Guanabara (TABG), os trabalhadores aderiram à greve com boa participação. Não houve corte de rendição, mas a direção do sindicato está discutindo com os trabalhadores a importância de cortarem a rendição nos turnos. Os trabalhadores do Terminal de Angra dos Reis também aderiram à greve

 

Unificado de São Paulo

Recap – sem rendição nos turnos. Sindicato obteve habeas corpus para liberar os trabalhadores do Grupo A que estavam desde domingo na refinaria. A equipe de contingência da Petrobrás assumiu a unidade.

Replan – trabalhadores cortaram a rendição na manhã desta terça (24), vencendo as dificuldade impostas pela Petrobrás para impedir os trabalhadores de controlar a troca de turno.

Terminais de São Caetano, Barueri, Gurararema e Guarulhos – continuam sem rendição nos turnos. Em Guarulhos, os trabalhadores continuam controlando o bombeio.

OSBRA – trabalhadores dos terminais de Uberlândia e Ribeirão Preto pararam por duas horas a produção.

 

Litoral Paulista

RPBC – os trabalhadores continuam sem fazer rendição nos turnos.

Terminais de Alemoa, Pilões e Tebar – adesão continua.

 

Paraná e Santa Catarina

Repar – sindicato conseguiu liberar trabalhadores do turno de domingo que permaneciam retidos na refinaria. Liminar obtida pelo sindicato também obriga Petrobrás a liberar a equipe de contingência, após oito horas seguidas de permanência na refinaria.

Six – unidade sob controle da equipe de contingência. Trabalhadores do turno de domingo foram liberados.

Terminais de Santa Catarina – estão sob controle das equipes de contingência os terminais de Itajaí, Biguaçu e Guaramirim. O Terminal de São Francisco do Sul está sob controle dos trabalhadores grevistas, com produção abaixo do normal.

Terminal de Paranaguá, no Paraná – está sendo operado pela equipe de contingência.

 

Rio Grande do Sul

Refap – corte de rendição ocorreu na segunda-feira (23), pela manhã.

 

 

Publicado em Últimas Notícias

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.