No Fórum Social Mundial, Lula afirma que emprego pode tirar país da crise

Domingo, 01 Fevereiro 2009 22:00
No encontro dos presidentes da América Latina com participantes do Fórum Social, nesta...

CUT

No encontro dos presidentes da América Latina com participantes do Fórum Social, nesta quinta, 29, em Belém (PA), o presidente Lula repetiu diversas vezes que o Estado tem de continuar investindo no país e que o emprego em última análise é que vai tirar o país da crise.
 
Para o Lula a crise aconteceu por causa da falta de controle sobre os mercados financeiros. "O Estado é que tem que construir o país e não o mercado. Eles se perderam por causa da falta de controle, especulação via mercado futuro", disse Lula. Para o presidente esta é uma oportunidade de os paises emergentes se desenvolveram por meio de uma política de transferência de renda. 
 
"A crise é tão grave e nós não sabemos seu fundo. Os países mais desenvolvidos estão mais fáceis de sair da crise. Temos que disputar o G20, ter o controle do mercado financeiro. Temos uma chance extraordinária. A crise não teve início em nosso país. As exportações estão caindo. A China não cresce tanto mais. Nos EUA e UE tem recessão. O Estado tem de investir. Precisa de emprego", completou.
 
O presidente do Sindicato, Luiz Cláudio Marcolino, lembra que a necessidade de regular o Sistema Financeiro Nacional (SFN) é defendida pelos bancários como forma de controle e fiscalização para evitar a especulação financeira e promover desenvolvimento sustentável. Ele destaca que a categoria fez uma série de ações, entre elas uma maratona no Congresso Nacional para exigir que os recursos públicos liberados para as empresas tenham contrapartidas sociais, como a preservação dos empregos.
 
A necessidade de regulamentar o SFN foi levada pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo em debate na manhã da quinta-feira, 29, no FSM.

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram