Norte Fluminense participou em peso do grito Fora Bolsonaro do último sábado

Segunda, 31 Maio 2021 12:40

O Norte Fluminense teve grande participação, no último sábado, nos protestos promovidos em todo o País pelo impeachment do presidente Bolsonaro, por vacinas contra a Covid-19 e pelo auxílio emergencial. Cartazes e faixas também traziam reivindicações em defesa das universidades públicas e do SUS.

As principais cidades da região com atos públicos foram Campos dos Goytacazes, Macaé e Rio de Ostras. Na primeira, os manifestantes se reuniram na Praça São Salvador, no Centro. Na segunda, houve concentração na Praça Veríssimo de Mello seguida de caminhada pela Avenida Rui Barbosa. E na terceira, o protesto se concentrou na Feira do Âncora.

Todas as manifestações na região contaram com participações de diretores e diretoras do Sindipetro-NF. Junto a outras entidades dos movimentos sindical e social, o NF denuncia o governo Bolsonaro desde o seu início, em razão das políticas de desmonte da Petrobrás, abandono de políticas públicas e agora, na pandemia, em razão da postura negacionista que já provocou quase 500 mil mortes.

Os atos públicos deste sábado foram um teste importante para os movimentos sociais durante a pandemia. Há mais de um ano, mesmo com muitos motivos para ganharem as ruas, as entidades mantinham o entendimento de que é necessário fazer o isolamento social. Em razão disso, vários protestos foram feitos ao longo dos últimos meses com os militantes em suas casas, como twitaços e panelaços.

O genocídio brasileiro chegou a tal ponto, no entanto, que se tornou inevitável ir às ruas e praças. Para isso, todos os protestos foram marcados por orientações pelo uso de máscaras, álcool em gel e tanto distanciamento social quanto possível. A tendência é a de que novos protestos de rua voltem a acontecer, cada vez maiores.

Confira aqui os registros das redes sociais dos atos do último sábado na região.

[Da imprensa do Sindipetro NF]

Última modificação em Quarta, 02 Junho 2021 16:04
Publicado em Movimentos Sociais

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.