Necrogestão: Trabalhadores da Repar morrem vítimas da Covid-19

Quinta, 25 Março 2021 16:50

O Sindipetro PR/SC informou a perda de dois trabalhadores da Repar - o lubrificador Rodrigo de Souza Germano (36 anos) e o caldeireiro Marcos da Silva (39 anos), vítimas da Covid-19. Para a entidade, mesmo alertada por diversas vezes, gestão da refinaria manteve concentração de trabalhadores no auge da pandemia

[Da imprensa do Sindipetro PR/SC]

Ontem (24) o Sindicato foi informado da morte do lubrificador *Rodrigo de Souza Germano, vítima do novo coronavírus. Ele trabalhava na SNA Serviços de Manutenção Industrial e prestava serviços na Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), em Araucária. Nessa madrugada mais uma pessoa faleceu por conta da Covid19, o caldeireiro **Marcos da Silva, trabalhador da PROPAV Construção e Montagem, também terceirizado na unidade da Petrobrás. São pais, irmãos, maridos, filhos que deixam, de forma prematura, seus entes queridos. 

Enquanto isso, a atual gestão da refinaria, sabendo que uma das principais causas de contaminação pela Covid19 é o grande número de pessoas num mesmo ambiente, não atende aos alertas do Sindipetro PR e SC. De acordo com denúncias vindas dos próprios trabalhadores, aproximadamente 800 pessoas continuam em atividade na pré-parada de manutenção no momento mais crítico da pior crise sanitária da história do país. 

O Sindicato alertou a gerência da unidade por diversas vezes, seja por ofício ou contato direto com gerentes e responsáveis, que a circulação de centenas de pessoas no momento de colapso dos serviços de saúde, tanto na iniciativa privada como na saúde pública, seria muito trágico (LEIA AQUI).  

Trata-se de uma tragédia anunciada, a empresa ignora as solicitações para reduzir ou adiar os trabalhos não essenciais, não dá a devida importância a saúde dos trabalhadores e é omissa no combate à Covid19.   

Ontem, justamente no dia em que o Brasil ultrapassou a triste marca dos 300 mil mortos (24/03), os petroleiros enviaram aos órgão públicos do governo federal, estadual e municipal, além da própria Petrobrás, mais uma denúncia sobre a continuidade das atividades não essenciais na Repar.    

O Sindipetro apela às autoridades para que todos os trabalhos não prioritários sejam adiados até que a situação da pandemia recue e o sistema de saúde possa atender à sociedade com tranquilidade. Lamentavelmente se nada for feito mais famílias perderão seus entes queridos. Parem as aglomerações na Repar. Vidas valem mais.

 Denúncias

Qualquer situação de risco de contaminação deve ser comunicada imediatamente ao Sindicato, tais como aglomerações em oficinas, containers, refeitórios, transporte e alojamento, principalmente no período de serviços de pré-parada, de preferência com registros. As denúncias devem ser feitas através do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou do telefone (41) 3332-4554. Se preferir, trate o assunto diretamente com os dirigentes sindicais nos locais de trabalho. 

*Rodrigo de Souza Germano 

 Rodrigo de Souza Germano

 ** Marcos da Silva 

A entidade, em nome de toda categoria petroleira, se solidariza com os familiares e amigos das vítimas. Informa também que não está medindo esforços para que as condições de trabalho mudem e a vida dos trabalhadores seja respeitada.  

Última modificação em Quinta, 25 Março 2021 17:20

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.