Lockdown da classe trabalhadora marca 20º dia de greve nas bases da FUP

Quarta, 24 Março 2021 13:01

Nesta quarta-feira, 24, quando os petroleiros completam 20 dias de greve e mobilizações regionais por segurança nas unidades do Sistema Petrobrás, a categoria aderiu ao chamado da FUP em vários estados, e não foi trabalhar presencialmente ou retornou para casa, em resposta às mobilizações feitas pelos sindicatos nas portas da unidades operacionais da empresa. O "Lockdown em Defesa Da Vida e dos Direitos", chamado pelas centrais sindicais e movimentos sociais foi realizado nas principais bases da FUP, fortalecendo a luta por segurança e contra as privatizações.

O movimento acontece no mesmo dia em que a gestão Castello Branco tenta emplacar a venda da Refinaria Landulpho Alves pela metade do preço, pressionando os integrantes do Conselho de Administração para votar favorável à privatização da unidade a preço de banana (saiba mais aqui). 


Leia também: Enquanto petroleiros morrem de Covid, diretoria da Petrobrás prioriza venda da Rlam pela metade do preço


O Sindipetro Bahia protestou contra a manobra da diretoria da Petrobrás, que ocorre às vésperas da substituição dos gestores. Veja abaixo o vídeo do coordenador geral da FUP, Deyvid Bacelar, nesa manhã, na porta da Rlam, onde os trabalhadores próprios e terceirizados retornaram para casa, atendendo ao lockdown da classe trabalhadora. 

Na Replan, base do Sindipetro Unificado SP, os ônibus também chegaram vazios à unidade, com adesão em massa ao lockdonw pela vida. Veja o vídeo: 

No Norte Fluminense, o Siundipetro realizou um ato pela manhã no Aeroporto do Farol de São Tomé, em Campos, denunciando as contaminações por surtos nas plataformas e refinarias da Petrobrás, que já mataram dezenas de trabalhadores. Durante o ato, os petroleiros também protestaram contra as 3 mil mortes diárias no Brasil em função da pandemia que avança sem controle diante da negligência do governo Bolsonaro. Veja o vídeo abaixo, onde o diretor da FUP e do Sindipetro-NF, Rafael Crespo, fala das cobranças que o sindicato tem feito pela testagem de todos os trabalhadores no desembarque das plataformas, para evitar que o vírus circule e que leve a doença para casa: 

No Terminal Aquaviário de Suape, em Pernambuco, os trabalhadores participam desde a noite de ontem das mobilizações convocadas pelo Sindipetro-PE/PB, fazendo atrasos na troca de turnos. Hoje pela manhã, os atrasos continuaram e os trabalhadores também aderiram ao lockdown: 

A FUP e seus sindicatos também estão mobilizando a categoria petroleira para que fortaleça o lockdown da classe trabalhadora nas redes sociais, divulgando as hastags: 
 
 
  • feca9131-e7c7-4c45-8941-0186e5c060ee
  • deyvid-fup
  • e611f368-f8fd-4ca7-837a-48c45f69ec2b
  • dc42191a-ac98-40ab-8b25-d4311ce0e3fd
  • d2d93b63-9904-4837-a6fd-24e5fb65d898
  • ceca8e07-17af-4b5d-9950-a8bd0f4a7130
  • a5053bd9-3680-49a5-a408-57eafd95c119
  • 771cd0a6-4ffb-4afb-aa25-b98bcb1d1188
  • 0749e0fc-f8ee-428f-9907-65b0faa6ef63
  • 37b3920d-e660-485a-82df-3f290059263c
  • 19aa6b48-eb0b-419d-acea-ae0a169d67cf
  • 14c90d82-5551-4198-a3e1-801b81e8fadd
 
[Da imprensa da FUP]
 

 

Última modificação em Quinta, 25 Março 2021 11:59

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.