Plataformas continuam em risco com falta de profissionais de marítima

Sexta, 19 Março 2021 11:24

O Sindipetro-NF continua a receber relatos dramáticos de petroleiros e petroleiras da Bacia de Campos sobre a falta de profissionais marítimos nas plataformas. Desde o último dia 13, quando terminou o contrato com a empresa Lighthouse, a nova empresa, Infotec, não conseguiu repor toda a mão de obra necessária de mestres de cabotagem, oficiais de náutica e de marinheiros.

Ontem, relatos sobre a P-09 mostravam que, de cinco profissionais da área que a unidade costuma ter a bordo, apenas dois estavam em atividade. Em outro relato, sobre uma outra unidade, o trabalhador compartilhou com o sindicato um apelo de uma chefia da Petrobrás a um marítimo que já rescindiu o contrato, pedindo orientações sobre como proceder em uma manobra.

Com o fim do contrato, 157 marítimos desembarcaram de 22 plataformas da Petrobrás na Bacia de Campos. Esse efetivo não foi reposto completamente ainda. Nos casos de reposição, também há muitas denúncias de que vários dos novos profissionais não possuem as qualificações necessárias para os postos.

Um dos motivos desse caos na prestação de serviço dos marítimos é o rebaixamento das condições salariais e de benefícios feito pela nova empresa. A Infotec não conseguiu manter grande parte da força de trabalho anterior e, no mercado, não conseguiu atrair todos os profissionais necessários em razão das condições desfavoráveis que oferece.

[Da imprensa do Sindipetro NF]

Publicado em Sistema Petrobrás

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.