AstraZeneca contraria governo Bolsonaro e diz que não venderá doses de sua vacina para empresas privadas

Terça, 26 Janeiro 2021 16:47

A empresa AstraZeneca se pronunciou após notícias de que um grupo de empresas brasileiras pediu e conseguiu aval do governo federal na autorização na aquisição de 33 milhões de doses

[Do Brasil 247, com informações da CNN \ Foto: Divulgação]

A empresa AstraZeneca divulgou nota nesta terça-feira (26) afirmando que não venderá vacinas contra a covid-19 para o setor privado no Brasil.

A empresa divulgou comunicado sobre o caso após um consórcio de empresas pedir e conseguir autorização do governo federal para comprar as vacinas diretamente da fabricante, criando 

Jair Bolsonaro afirmou à CNN na noite de segunda-feira (25) que a vacinação contra a pandemia do novo coronavírus será parcialmente privatizada no país, liquidando com a lógica pública do Programa Nacional de Imunização. Ele desmentiu a informação segundo a qual a vacinação seria apenas pública no país: "Desde o ano passado, nós abrimos negociação para compra de vacinas. Diferente do que estão falando por aí, o governo continua estimulando essa negociação com os empresários. Nós demos o sinal verde para eles lá atrás". Algumas empresas já anunciaram discordar da privatização.

Contrariando Bolsonaro, na nota, a AstraZeneca, segundo informação do portal Exame,  afirma que suas vacinas estão sendo disponibilizadas somente ao setor público e a organizações multilaterais como a Organização Mundial da Saúde (a AstraZeneca faz parte da Covax Facility, aliança para compra de vacinas a países mais pobres).

Publicado em Política

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.