Juventude organizada ocupa as redes nesta sexta, em defesa da vida e por 'Fora Bolsonaro'

Quarta, 06 Maio 2020 19:33

Diversos movimentos da juventude organizada - estudantes, trabalhadores, movimentos sociais - estão convocando manifestações virtuais para sexta-feira, dia 8 de maio, em defesa das liberdades democráticas, dos direitos, da vida, da dignidade e contra a permanência de Jair Bolsonaro na Presidência do Brasil.

“Contra esse projeto ultraliberal e antidemocrático, a juventude brasileira esteve nas ruas desde o primeiro instante do governo, mobilizando massivamente atos como os de Maio de 2019, colocando centenas de milhares nas ruas em defesa da educação. Assim, conseguiu impor o primeiro recuo deste governo”, afirmam as entidades no manifesto de convocatória para os protestos de 8 de maio.

Cronograma das atividades virtuais

10h – Twitaço Fora Bolsonaro
14h-16h – Debates virtuais pelas redes de Organizações de Movimentos Sociais;
19h – Debate Fora Bolsonaro (pelo facebook das entidades)
20h – Ato nas Janelas: Luto pelo Brasil, Fora Bolsonaro (afixar um pano preto nas janelas em homenagem as vítimas da Covid) e panelaço;

Como participar?

> Tire uma foto com um cartaz escrito #ForaBolsonaro com uma chamada de luta (ex.: “Sou #ForaBolsonaro porque defendo a Petrobrás pública”);

> Grave um vídeo de até 30 segundos explicando o por quês de você defender o #ForaBolsonaro;

> Durante todo o dia, compartilhe publicações nas suas redes (Instagram, Facebook, Twitter, etc.) marcando a hastag #ForaBolsonaro;

> Utilize o site https://manif.app/ para manifestações virtuais, ao entrar marque a cidade onde está no mapa e escreva a hastag #ForaBolsonaro

Leia a convocatória na íntegra:

Em Defesa dos Direitos, da Vida, da Dignidade e das Liberdades Democráticas - Ditadura Nunca Mais: Fora Bolsonaro!

Nós, de distintas organizações políticas de juventude, viemos convocar os jovens brasileiros para a construção de uma ampla unidade em defesa da liberdades democráticas, da vida e dos direitos. Vamos aquecer as panelas no dia 1 de maio, dia internacional do trabalhador, no panelaço unificado às 20h30. E no dia 8 de maio, ocuparemos as redes com ações coordenadas nas comunidades para defender que a vida esteja acima do lucro. E no dia 15 de maio, comemoraremos o 1 ano do #TsunamiDaEducação novamente com a defesa do ensino, pesquisa e extensão. Mesmo com nossas diferenças de visão sobre o Brasil e o mundo, as nossas organizações se reuniram para convergir no que é fundamental neste momento: Fora Bolsonaro!

A pandemia global do novo coronavírus revela a partir da crise sanitária, uma crise de ordem econômica, política, social e ambiental. No mundo todo, seguindo as recomendações da OMS, o distanciamento social tem sido apontado como a única forma capaz de proteger a maioria da população e evitar o colapso nos sistemas de saúde. Também se tornaram evidentes os impactos negativos de décadas de desinvestimento nos sistemas públicos de saúde, fruto de uma visão neoliberal de gestão do estado e da economia. Hoje, é impossível negar a importância do SUS, das universidades e da pesquisa pública no combate ao Covid-19, que estão salvando milhares de vidas às custas da exposição de seus profissionais e o pouco ou nenhum amparo por parte do governo.

O problema é que Bolsonaro, em vez de assumir uma postura de presidente diante da crise, reproduz teorias conspiracionistas de que o vírus é uma armação do comunismo. O mesmo encontra-se completamente alinhado a Donald Trump, que tem impedido acordos internacionais e retirado apoio à OMS pelo mesmo motivo. Além de roubar respiradores e outros equipamentos de proteção do Brasil e de outros países. Enquanto isso, a crise se aprofunda cada vez mais e atinge de forma mais dramática os países mais pobres, pertencentes ao sul global, e suas populações periféricas. No Brasil, existe uma gigantesca subnotificação, principalmente dos mais pobres. A realização de testes para o COVID-19 tem caráter elitizado, a população negra, por exemplo, é completamente ignorada pelo radar das estatísticas, mesmo compondo 57% do total da população.

A condução de Bolsonaro é, portanto, de negação da ciência, criando atritos contra os governadores e prefeitos e estimulando o desrespeito à quarentena. Tudo isso buscando garantir os lucros de uma pequena parcela de banqueiros e empresários.Entre o lucro e a vida, ele escolhe, mais uma vez, o lucro. Em pouco mais de uma semana, Bolsonaro se juntou à aglomerações golpistas, que pediam o fechamento do Congresso e a volta do AI-5. Demitiu o Ministro da Saúde e perdeu o seu braço lava-jatista com o pedido de demissão de Sérgio Moro, que realizou denúncias gravíssimas de interferência nos inquéritos da Polícia Federal. Dessa forma, sua base social vem derretendo. Atualmente, 40% dos eleitores de Bolsonaro (segundo pesquisa do Estadão) acham que ele está errando no combate ao coronavírus e, pela primeira vez, mais de metade da população acha que seu governo deve acabar.

UNE
UBES
ANPG
JCUT
CTB
Intersindical/OCUPE
MST
MTST
JPT
UJS- União da Juventude Socialista
JS – Juventude Socialista
JSB
UJC
RUA – Juventude Anticapitalista
JUNTOS
MANIFESTA
Levante Popular da Juventude
REBELDIA
UJR
Kizomba
Coletivo Luta
AFRONTE
Juventude Vamos à Luta
Paratodos
JPL
FENET
Movimento Correnteza

Juventude Petroleira da FUP

Publicado em Movimentos Sociais

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram