Ministério Público do Trabalho fiscalizará assembleias dos empregados da Petrobrás

Sexta, 27 Setembro 2019 20:38

Nesta sexta-feira, 27, em reunião com a Coordenadoria Nacional de Promoção da Liberdade Sindical da Procuradoria do Trabalho (CONALIS), a FUP contextualizou o andamento da negociação coletiva de trabalho com a Petrobrás, e da mediação no TST.

A FUP enfatizou as singularidades da mediação, sobretudo sua pouca duração e o fato de nunca ter havido uma reunião entre entidades sindicais e Petrobrás, no TST. Destacou ainda as práticas antissindicais da empresa, destinadas a manietar a liberdade de expressão dos trabalhadores em suas próprias assembleias.

Ficou acertado que, por solicitação  dos sindicatos, o Ministério  Público do Trabalho se disporá a acompanhar as assembleias futuras, que venham a encerrar a atual negociação coletiva de trabalho.

[Via Assessoria Jurídica da FUP]

f61e004d-526c-41e2-87eb-2ed13a6daa7c
e79fd2f4-27b1-429a-bcda-01799b3e0345
conselho-fup-setembro
c5ee4c36-23c0-495d-98a4-b7647f9a16ec
11652366-31da-46f9-be23-c7d91e02810f
5211ec79-794f-4f7d-9fd0-6945cca58fe3
11fb5e11-6661-4bd0-b70b-3af9e995918b
865a1903-6b77-4ffd-987e-861016ea3f72

Última modificação em Sábado, 28 Setembro 2019 00:24

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram