Participantes e assistidos do PP1 buscam informações sobre o plano alternativo do GT Petros

Quarta, 14 Agosto 2019 12:18

Centenas de aposentados, pensionistas e trabalhadores da ativa compareceram na manhã do sábado, 10/08, ao Clube 2004, em busca de informações sobre o Novo Plano Petros (NPP), que é o plano alternativo, construído pelo Grupo de Trabalho da Petros.

 O Conselheiro Deliberativo eleito da Petros, Paulo César Martin, fez uma breve análise oe déficit do Plano Petros, que teve inicio em sua origem, passando por diversos tipos de equacionamentos a exemplo do que aconteceu na década de 1970, quando a Petros aumentou o limite de idade dos assistidos e participantes no plano.

Ele afirmou que a prioridade hoje é sair do atual PED (Plano de Equacionamento do Déficit) e que as ações jurídicas para suspender o equacionamento são medidas paliativas.

PC informou ainda que dificilmente o GT vai conseguir que o NPP seja apresentado à categoria juntamente com o PP3 devido aos trâmites legais, “mas nosso desafio é que a Petros faça toda a comunicação e campanha de adesão das duas opções, de forma conjunta, ou seja, no mesmo momento.”

O Conselheiro alertou ainda sobre os riscos de ingressar no PP3, pois, não é um plano previdenciário e sim um plano financeiro individual, onde, “quanto mais tempo a pessoa vive, menor fica seu benefício.”.

“Se a categoria aderir ao PP3 tem que estar ciente que abrirá mão de todas as suas ações jurídicas e que o risco passa a ser somente do assistido e do participante, pois, a Petrobrás não terá nenhuma responsabilidade, além da sua contribuição normal e mesmo assim, somente em relação aos participantes da ativa.”

“O PP3 nada mais é que uma das ações para preparar a estatal para a privatização”.

Ao final da reunião, o GT Petros apresentou o simulador do Novo Plano Petros, que está disponível na sede do Sindipetro Bahia para aqueles que quiserem fazer a sua simulação individual.

Via Sindipetro Bahia

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram