Imprimir esta página

Novo Surto de COVID na P-56 e em barco de apoio

Segunda, 26 Outubro 2020 16:10

Segundo informações recebidas pelos trabalhadores a P-56 é mais uma unidade com surto de COVID. Há pelo menos 05 casos confirmados e diversos casos suspeitos.

De acordo com o Ministério Público do Trabalho e Operação Ouro Negro, acima de 04 casos confirmados deve ser classificado como surto a bordo da unidade. A ocorrência cada vez mais constante de casos a bordo das plataformas confirma o que o SindipetroNF vem denunciando: As medidas tomadas pela Petrobrás para garantir a saúde dos trabalhadores não passa de um discurso vazio.

Na última semana o sindicato realizou uma fiscalização surpresa nos hotéis e locais de embarque da categoria e constatou diversas irregularidades como aglomerações nos hotéis, falta de testagem, ônibus com lotação acima da permitida e sem higienização entre um embarque e outro, entre diversos outros absurdos que estão expondo os petroleiros e petroleiras ao vírus.

Fazemos um alerta a todos os trabalhadores e trabalhadoras que estiveram a bordo da P-56 nas últimas semanas a realizarem o teste de COVID-19 para terem a certeza se foram contaminados ou não. 

Barco de apoio vindo da P-54 apresenta surto

Outra denúncia recebida pelo sindicato dá conta que o Navio Mandrião, da empresa Wilson Sons, também está com diversos trabalhadores contaminados, estando isolado no porto do Rio. Ainda de acordo com os trabalhadores as autoridades sanitárias estão cientes e acompanhando o caso. 

ILEGALIDADE COMETIDA PELAS EMPRESAS

Todos aqueles contaminados pelo vírus tem o direito a emissão da CAT (Comunicado de Acidente de Trabalho). Até o momento a Petrobrás se recusa a emitir a CAT dos trabalhadores e trabalhadoras contaminadas, descumprindo a legislação vigente e servindo de mau exemplo para as empresas contratadas por ela.

É importante que cada um e cada uma denuncie ao sindicato os casos onde a empresa se recusa a emitir a CAT. O nosso email para o recebimento de denúncias garante o tratamento e o sigilo adequado: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

[Da imprensa do Sindipetro-NF]