Categoria pode se orgulhar da maior greve da sua história recente

Sexta, 21 Fevereiro 2020 14:25

Aos companheiros e companheiras do Norte Fluminense

Categoria pode se orgulhar da maior greve da sua história recente

A maior greve da história recente da categoria petroleira chegou a um momento decisivo, com conquistas em forma de abertura de negociações em torno de demissões que eram tratadas pela Petrobrás como irreversíveis, colocação do desmonte da empresa na agenda da opinião pública e aproximação da população para discutir o preço dos combustíveis.

A sabedoria, a experiência, a responsabilidade que sempre pautaram a atuação da FUP e seus sindicatos, que trazem o acúmulo de décadas de movimentos nos mais diferentes cenários, apontaram para necessidade de uma suspensão provisória no movimento, como forma de sinalizar ao TST (Tribunal Superior do Trabalho) a boa fé negocial que sempre mantivemos.

No início do movimento, o recado retumbante da força petroleira provocou uma reação autoritária e desproporcional da empresa, infelizmente endossada em larga medida por um dos ministros do TST, por meio de decisões monocráticas. Essa mesma força, no entanto, foi a que arrancou um encontro com esse mesmo ministro e uma decisão do TRT-PR pela suspensão das demissões até 6 de março.

Quem conseguiu essa abertura para negociações com a Petrobrás, mediadas pelo TST e acompanhadas pelo Ministério Público do Trabalho, foi cada um e cada uma que enfrentou assédios, coações, para que seja cumprido o Acordo Coletivo de Trabalho da categoria.

No Norte Fluminense, a greve se manteve, até o indicativo de suspensão provisória aprovado hoje, com adesão histórica. Foram 36 plataformas mobilizadas, de 39. Bases de terra movimentadas com concentrações e cortes de rendição em Cabiúnas. Tudo isso é evidência de que o movimento sindical petroleiro está vivo, mesmo neste tempo sombrio do País, e mostra-se como frente capaz de resistir ao assalto em curso ao patrimônio nacional, aos empregos e aos direitos.

Vamos seguir com serenidade e altivez, dando os passos certos em todas as instâncias que se abriram pela greve, certos de que esta energia gerada pelo movimento não se perderá, estará sempre na condição de fiadora e de anteparo para os muitos embates que continuaremos a ter. A greve está pronta para ser retomada a qualquer momento, se necessário.

Sabemos que a suspensão provisória da greve pode ter gerado em alguns uma sensação de frustração. Guerreiros sempre sabem que podem ir além. Mas tática, estratégia, também são instrumento da guerra e da política. Saibamos usá-los. Consciente e bem informada sobre cada passo dessa jornada que continua, a grande maioria, como mostraram as assembleias, entenderam o que, provisoriamente, pede o momento.

Sigamos juntos e fortes. Defender a Petrobrás é defender o Brasil.

Saudações combativas,
Diretoria do Sindipetro-NF
Macaé, 21 de fevereiro de 2020

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram