Petroleiros param contra a Reforma da Previdência

Sexta, 14 Junho 2019 15:46

O Brasil presencia hoje um dia histórico, de Norte a Sul do país, trabalhadores de todas as categorias estão de braços cruzados protestando contra a reforma da Previdência, contra o corte de verbas para educação e programas sociais e, no caso de nossa categoria, contra a privatização da Petrobrás e suas subsidiárias.

Desde a zero hora

Na Replan, os ônibus e vans chegaram vazios na manhã  deste dia 14, com a adesão em massa dos trabalhadores. Na Portaria Sul, principal acesso dos petroleiros próprios, o movimento é bem tranquilo.
Os terceirizados não entraram para trabalhar e estão reunidos na frente da Portaria Norte, e devem participar, daqui a pouco, de uma assembleia com o Sindicato da Construção Civil. a adesão ao movimento nacional está sendo positiva, com 100% de participação do turno e mais de 90% dos trabalhadores do administrativo.

Na Recap, uma grande faixa informando que os trabalhadores estavam em greve cobria o portão principal de entrada, a adesão foi praticamente total no turno e no administrativo. Houve corte de rendição a partir da zero hora. No Edisp, petroleiros se postaram  na frente do prédio portando faixas pela greve geral.

[Sindipetro Unificado-SP]

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram