UTGCAB: Petroleiros fazem ato pela incorporação

Quarta, 12 Setembro 2018 16:09
Avalie este item
(0 votos)

A diretoria do Sindipetro-NF e a categoria petroleira realizaram nesta quarta, 12, em Cabiúnas mais um Dia de Luta pela Incorporação dos Trabalhadores da Transpetro, que durou cerca de três horas. Desde a greve de 2015, o sindicato e os trabalhadores querem a incorporação dos cedidos da Transpetro à Petrobrás, assunto que já foi tema de várias reuniões, mas que no entendimento do NF só depende de vontade política.

Em junho do ano passado, os NF recebeu denúncias de que devoluções de cedidos à Transpetro estavam sendo realizadas e totalizaram cinco companheiros desde que a gestão da unidade retornou para a Petrobrás. Esses trabalhadores que foram devolvidos não tinham posto de trabalho garantido na região e nem garantia de manutenção do seu regime original.

Na época o NF descobriu não havia qualquer desativação da unidade/atividade que justificasse a retirada das pessoas da unidade. Isso só comprovava a existência de um projeto de devolução gradual dos cedidos que poderá prejudicar um grande número de trabalhadores. Por esse motivo, o sindicato cobrou um posicionamento claro da empresa sobre o futuro dos aproximadamente 450 cedidos da Transpetro no UTGCAB.

Entenda o histórico

O Sindipetro-NF e a FUP construíram a Pauta Brasil no ano de 2015 que culminou com uma greve nacional, quando os petroleiros e petroleiras resistiram a um projeto de desmonte da Petrobrás. 

Foi incluída na Pauta pelo Brasil, o item 8. que diz que “A COMPANHIA envidará esforços junto ao governo para a incorporação integral de sua subsidiária PETROBRÁS TRANSPORTE –“TRANSPETRO S.A, devendo, ao final do processo, assumir suas atividades como controladora”.
Após a greve terminada em todo país, as bases do Norte Fluminense mantiveram o movimento por mais uma semana, sendo um dos motivos, a necessidade de abertura de um canal de comunicação para tratar da incorporação dos trabalhadores da Transpetro de Cabiúnas à Petrobrás.

Em janeiro de 2016, aconteceu a primeira reunião onde a Gerente de RH da Transpetro alegou ter um parecer do jurídico da empresa que alertava que não era possível adotar a incorporação. Esse fato foi contestado pela assessoria jurídica do sindicato, que tem parecer favorável a incorporação. Durante esse processo, a Petrobrás mostrou interesse em incorporar os trabalhadores, mas a Transpetro tem se mostrado resistente. O que a subsidiária oferece é a cessão.

O sindicato vem alertando nas setoriais com os trabalhadores da base de Cabiúnas que as devoluções iriam acabar ocorrendo de forma gradativa e, de fato, o processo iniciou. Como sempre nenhum dos gestores envolvidos se compromete a escrever isso. Para mudar essa situação, só a mobilização efetiva da categoria com apoio do NF terá algum resultado.

[Via Sindipetro-NF]

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram