Petroleiros norte-rio-grandenses protestam contra reformas

Sexta, 30 Junho 2017 13:13

As principais unidades da Petrobrás sediadas no Rio Grande do Norte amanheceram esta sexta-feira, 30, com os trabalhadores e trabalhadoras mobilizados. Nas áreas administrativas e operacionais, em terra e mar, estão sendo realizadas paralisações, suspensão da emissão de PTs, assembleias, atos públicos e protestos envolvendo trabalhadores próprios e terceirizados, desde as primeiras horas do dia.

Em Mossoró, a mobilização teve início às 6h00 com a convocatória da categoria para participar de uma "aula pública", em frente ao portão principal de acesso à sede administrativa da Petrobrás (Base 34). A atividade foi ministrada pelo professor do curso de Direito da Universidade Federal Rural do Semi-Árido – Ufersa, Thiago Arruda, que abordou as consequências da Reforma Trabalhista para a classe trabalhadora

Ao abordar a proposta neoliberal de Reforma Trabalhista, Thiago alertou que “a retirada de direitos e a imposição de contratos pelo capital explorador, sem espaço para modificações, levará à precarização das relações de trabalho e ao crescimento dos casos de adoecimento do trabalhador, que ainda terá sua representação sindical enfraquecida”.

Ainda em Mossoró, dentro da programação da Greve Geral contra as reformas trabalhista e previdenciária, centrais sindicais e entidades representativas de diversos segmentos dos movimentos sociais estão bloqueando a BR-304, que liga o RN ao CE. No período da tarde, a partir das 15h, os petroleiros deverão participar de uma manifestação unitária, com concentração em frente à Igreja católica do Alto de São Manoel.

Guamaré e Mar               

No Polo Industrial de Guamaré, área em que estão instaladas a Refinaria Potiguar Clara Camarão (RPCC), uma unidade de tratamento e processamento de fluidos (UTPF) e um terminal da Transpetro, a emissão de Permissões de Trabalho (PTs) foi suspensa. De acordo com o coordenador geral do SINDIPETRO-RN, José Araújo, nenhum trabalhador terceirizado ingressou naquela unidade para execução de atividades.

Em assembleia conjunta, realizada no início da manhã, em frente ao portão principal de acesso às instalações, trabalhadores da Petrobrás e terceirizados decidiram pela suspensão total dos serviços por 12 horas. Com isso, a Parada da Unidade para a realização de serviços de manutenção está sendo afetada. Nas plataformas marítimas também houve suspensão da emissão de PTs.

Natal

Na sede administrativa da Petrobrás, em Natal, a categoria reuniu-se em assembleia deliberativa a partir das 8h. Entre outros oradores, o diretor do SINDIPETRO-RN para a base Natal, Ivis Corsino, defendeu a inserção dos petroleiros e petroleiras nas atividades programadas pelas centrais sindicais, em todas as áreas do RN.

Com quatro abstenções e nenhum voto contra, a categoria decidiu paralisar os serviços no expediente da manhã e participar da manifestação unitária programada para o período da tarde.

A partir das 15h, petroleiros e petroleiras deverão se juntar a outras categorias, concentrando-se na esquina das avenidas Salgado Filho e Bernardo Vieira, próximo ao IFRN, em Lagoa Nova. Em seguida, os manifestantes caminharão pela BR-101, em direção à Praça da Árvore, em Mirassol, onde será realizado o “Arraiá das Diretas Já!”.

Fonte: Sindipetro-RN

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram