Saiba como foi a reunião do Sindipetro com gerente de RH e SMS da UO-ES

Sexta, 02 Junho 2017 17:43

O Sindipetro-ES se reuniu ontem, 01, com os gerentes do RH e do SMS da UO-ES para tratarem de diversos assuntos, entre eles:

SAÍDAS NO PIDV: a direção do Sindipetro-ES solicitou ao RH que comunique sobre o efetivo e os impactos do PIDV nas bases operacionais. O gerente Orlando informou que nas FPSO´s todas as vagas em função do PIDV e do Mobiliza estão sendo repostas e que o efetivo está normal, mas que em alguns lugares como nos campos terrestres e bases operacionais onde houve redução das atividades não há necessidade de reposição.

EFETIVO MÍNIMO: foi cobrado uma apresentação de um estudo ou documento oficial da empresa sobre o efetivo mínimo das áreas operacionais, pois o sindicato entende que o não cumprimento do efetivo mínimo atinge diretamente a segurança e saúde do trabalhador que fica mais exposto e sobrecarregado.

TRANSFERÊNCIA DE TRABALHADOR DA P-57 PARA P-58: O sindicato informou que está acompanhando o caso e solicitou que fosse feita com maior brevidade e com menor prejuízo possível a adequação dos embarques.

DESCONTO DO DIA 28/04: A diretoria do Sindipetro-ES questionou ao RH porque houve divulgação por meio de DIP dos nomes dos empregados que aderiram à greve no dia 28 de abril. O RH informou que foi uma falha na emissão da DIP e que foi corrigido no mesmo dia. A diretoria exigiu retratação da empresa e cancelamento da DIP, pois, o fato ocorrido causou uma exposição desnecessária dos empregados citados. O gerente Orlando informou que foi uma determinação do RH executivo aplicada em todo Brasil e que por padrão da empresa, o RH local, não tem autonomia para aplicar o código de greve com reflexos e que nesse caso é obrigatório a emissão de DIP, que foi o que ocorreu, porém de maneira equivocada. O RH se comprometeu a tentar atender esta demanda, porém atentou para que o sindicato faça a reclamação ao RH executivo via Federação.

HOMOLOGAÇÃO DO EMPREGADO PAULO ZANELATO: O empregado PAULO CEZAR ZANELATO AMORIM, TÉCNICO DE SUPRIMENTOS na Petrobrás, foi vítima de um acidente fatal no dia 6 de maio de 2017. O empregado, de 51 anos, foi atropelado por uma carreta na BR 101, em São Mateus, e não resistiu ao acidente. Quase um mês depois do acidente a família do empregado ainda não recebeu a rescisão. A diretoria do Sindipetro-es cobrou agilidade para que se conclua a homologação. O RH informou que está acompanhando o caso e que segundo a assistência social da empresa, está pendente o envio de documentação por parte dos familiares para conclusão dos procedimentos administrativos. O sindicato cobrou melhorias e maior agilidade no atendimento de assistência social e aguarda resolver logo o problema desta família.

AMS: A direção do Sindipetro-es questionou a falta de especialidades médicas no plano de saúde AMS que atende os funcionários da Petrobrás/Transpetro. O RH informou que os gestores do plano estão tendo dificuldades em cadastrar novos profissionais pois muitos não querem atender por plano de saúde. O RH também orientou que caso não seja encontrada a especialidade procurada que os empregados façam uso do procedimento de “garantia de atendimento”.

O procedimento garante que será responsável por encontrar uma solução nas localidades que não contam com a especialidade médica cadastrada ou onde não for possível agendar uma consulta na rede da mesma região médica ou em um raio de 60 km, dentro dos prazos estabelecidos. Ou será negociado com algum médico local, mesmo não credenciado, ou o beneficiário será encaminhado a uma cidade próxima, sendo que a Petrobrás será a responsável em providenciar toda a logística, envolvendo transporte, hospedagem e o que mais for necessário sendo que os gastos ficarão a cargo da Petrobrás, que custeará 100% das despesas.

REESTRUTURAÇÃO DAS UOs: A direção do Sindipetro-ES questionou o RH sobre o boato da possibilidade de fusão das UOs, com a extinção da UO-ES. O RH informou que a diretoria da Petrobrás é quem define e aprova esse tipo de reestruturação para que esteja de acordo com o plano estratégico da empresa, mas que até o momento não existe nenhuma informação oficial por parte da empresa e que qualquer notícia a respeito não passa de boato.

EMBARQUE DE REPRESENTANTE DO SINDICATO: Ficou acordado junto a gerência de SMS o embarque de um médico do trabalho e um engenheiro de segurança do trabalho indicado pelo Sindipetro-es. O gerente Daniel Harres informou que o embarque deste profissionais está previsto para os dias 6 ou 7 de julho na P-57 e para os dias 18 ou 25 de setembro na P-58.

TRABALHADOR ACIDENTADO NA P-58: O SMS informou que o empregado estava afastado por licença médica e afastado pelo INSS por auxílio doença em virtude de uma cirurgia realizada. O Sindipetro-ES informou que não foram pagas as consultas e fisioterapias do trabalhador pois o setor médico entendeu que a cirurgia foi feita de uma lesão pré-existente, que é contestada pelo empregado e pelo sindicato. O Sindipetro-ES irá juntar os documentos junto ao trabalhador para solicitar reembolso desses valores e também o pagamento do FGTS, que não foi pago no período de afastamento.

Fonte: Sindipetro-ES

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram