SPIE da REDUC em cheque

Sexta, 01 Julho 2016 16:23

A Comissão de Certificação - ComCer do SPIE se reuniu em Brasília na semana passada para analisar entre outras pautas o acidente ocorrido no TQ-7510 que levou a óbito o Técnico de Operação Cabral.

A direção do Sindipetro Caxias apresentou a versão do “acidente” que todos sabem que na verdade foi um assassinato gerencial. O coordenador da FUP e dirigentes dos sindicatos filiados também compareceram para mostrar que o caso é nacional e que atingiu a todos os petroleiros do Brasil.

Os dirigentes explicaram que o assassinato do Cabral ocorreu devido a uma fraude no SPIE e por negligência dos gerentes. A fraude ocorreu em dois momentos: 

1. Devido à terceirização indevida da Inspeção de Equipamentos com a contratação da empresa Vitória, que continuou com a contratação da empresa Auxilio;
2. Devido ao pagamento de faturas a empresa pela Inspeção sem ter a devida contraprestação do serviço. Os inspetores contratados informaram no GT que preenchiam os Relatórios de Inspeção sem sequer ir ao local.

A negligência gerencial ocorreu devido a não interdição do TQ-7510, mesmo os gerentes sabendo das falhas estruturais no teto do tanque.

Na seqüência, os dirigentes sindicais questionaram a confidencialidade e exclusividade do IBP que parece ser mais um consultor da Petrobrás do que auditor, bem como as relações destes “auditores” que são ex-empregados da Petrobrás e muitas das vezes parecem ter conflito de interesse.

A REDUC teve “auditoria” do IBP em dezembro, mas o Sindipetro Caxias informou que não participaria, pois era um jogo de cartas marcadas. O IBP certificou a REDUC e em janeiro Cabral morreu. Ou seja, a certificação da forma que vem sendo feita não garante nada, muito menos segurança.

Por parte dos trabalhadores a voz era uníssona: o SPIE da REDUC tem que ser cancelado.

A gerente geral e adjunta da REDUC, junto com o gerente de Inspeção deu o depoimento, após o sindicato e a FUP.

Agora a ComCer deve emitir seu parecer nesta semana sobre o caso. Todos os petroleiros querem justiça.

O que perde a REDUC sem o SPIE 

Sem o SPIE - Serviço Próprio de Inspeção de Equipamentos a REDUC deverá cumprir a NR-13 na íntegra. Com isso, reduz o tempo de Parada de Manutenção dos equipamentos que tinha sua vida útil dobrada devido ao SPIE, aumento do lucro cessante e o número de partidas e paradas. Sem o SPIE o custo operacional de refino aumenta, mas haverá mais emprego para os terceirizados pois as Paradas de Manutenção também aumentarão.

Sindicato convoca Inspeção da REDUC para reunião dia 29

O Sindipetro Caxias convoca todos os trabalhadores da Inspeção de Equipamentos da REDUC para reunião dia 29/06, 17 horas, na sede do sindicato. O objetivo da reunião é avaliar as propostas que foram feitas à refinaria sobre melhorias no setor e avaliar o novo momento técnico da REDUC frente da possibilidade da perda do SPIE.

Fonte: Sindipetro Duque de Caxias

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram