Lamentamos a morte do intelectual e lutador Carlos Nelson Coutinho

FUP
Quinta, 20 Setembro 2012 14:38

 

Com informações da UFRJ e do MST

Um dia triste para todas as pessoas que se colocam no campo da revolução social, faleceu, nesta quinta-feira (20) o teórico marxista Carlos Nelson Coutinho. Sempre pontuando debates controversos dentro do campo, nunca deixou de ter a admiração de grande parte de seus questionadores.O professor faleceu na manhã desta quinta (20), vítima de um câncer, que combatia desde o início do ano. O professor, livre docente da UFRJ, era um dos maiores especialistas nas obras de Lukács e Gamsci, além de parceiro dos movimentos sociais e da luta pela Reforma Agrária. Seu corpo será velado nesta quinta-feira (20) no átrio do Palácio Universitário, no Campus da Praia Vermelha, e cremado amanhã de manhã (21), no cemitério do Caju.

Livre-docente da UFRJ, Coutinho tornou-se reconhecido internacionalmente como um dos maiores especialistas no pensamento do filósofo húngaro György Lukács e do italiano Antonio Gramsci.

Além de responsável pela coordenação e edição da obra de Gramsci no Brasil, Carlos Nelson Coutinho, que nasceu em Itabuna (BA), publicou livros fundamentais para os estudos de teoria política no país, como Gramsci, um Estudo sobre seu Pensamento Político e A Democracia como Valor Universal, entre outros.

Professor titular de Teoria Política na Escola de Serviço Social (ESS−UFRJ), formou-se em filosofia na Universidade Federal da Bahia (UFBA) e se dedicou à crítica cultural nos anos 60 e 70, concentrando sua atenção na filosofia política e articulando sua reflexão teórica com a prática militante.

Coutinho, que também foi diretor-geral da Editora UFRJ entre 2003 e 2011, era arguto analista da conjuntura política, como mostra a entrevista exclusiva, e ainda atual, que concedeu ao Jornal da UFRJ, em 2005.

Reproduzimos abaixo a nota do MST:

NOTA DE PESAR DA DIREÇÃO NACIONAL DO MST PELA PERDA DO PROFESSOR CARLOS NELSON COUTINHO

Aos familiares, amigos, colegas e à militância

Reunidos na Escola Nacional Florestam Fernandes, recebemos com profunda tristeza a noticia da perda de nosso companheiro Carlos Nelson Coutinho. A sociedade brasileira perde um de seus mais importantes pensadores, um intelectual que jamais se furtou dos debates de nosso tempo e que travou a batalha das ideias por uma nova sociedade com rigor teórico e a paixão da militância.

Aqui, nesta mesma Escola Nacional Florestan Fernandes, tivemos a oportunidade de recebê-lo como professor, o que demonstra sua profunda coerência como verdadeiro intelectual orgânico da classe trabalhadora, comprometido em socializar o conhecimento e contribuir na formação de militantes. Em inúmeras ocasiões, recebemos seu apoio e solidariedade na luta pela terra e pela reforma agrária.
Sua ausência nos deixa uma lacuna inestimável: um pensador marxista vigoroso; um estudioso preocupado em permitir o acesso à obra de Gramsci e Lukács ao público brasileiro; um militante atento e dedicado à discussão dos problemas atuais da sociedade brasileira.

É com este sentimento de respeito e admiração que nos despedimos do Professor Carlos Nelson Coutinho, que nos somamos ao pesar de familiares e amigos e que nos comprometemos com seu legado, lutando sempre por uma sociedade justa, humana e socialista.

DIREÇÃO NACIONAL DO MST
Guararema, SP, 20 de Setembro de 2012

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram