Greve dos trabalhadores da Isogama completa uma semana

Sexta, 29 Novembro 2013 15:24

Sindiquímica-BA

Continua a greve dos trabalhadores da empresa Isogama, localizada no município de São Sebastião do Passe, a 58km de Salvador. O movimento completa hoje (29) uma semana e apesar de ser pacífico, ontem os funcionários tiveram que enfrentar a Polícia Militar que chegou ao local por solicitação da direção da empresa e invadiu as  instalações da fábrica. O objetivo dos policiais era acabar com o movimento.

De acordo com as informações do Sindiquímica, a direção da empresa acinou a Justiça que concedeu interdito proibitório, mas a assessoria jurídica do sindicato está tentando derrubar a liminar. A Isogama está usando práticas antissindicais condenadas pelo movimento sindical, em vez de abrir o diálogo com os trabalhadores. Foi marcada um encontro  entre sindicato e empresa no último dia 26/11, mas só os representantes dos trabalhadores compareceram à reunião que poderia resolver a situação. Por conta da intransigência da empresa, o Sindiquímica e os trabalhadores decidiram acampar nas dependências da fábrica desde ontem e ameçam continuar até que a direção da Isogama chame para negociar um acordo.

Além disso, a direção da empresa está obrigando trabalhadores  terceirizados a desempenhar as tarefas dos operadores e fazer funcionar alguns equipamentos nas unidades paradas, uma manobra de risco alto que poderá provocar a ocorrência de acidentes. Nesse caso, a empresa será responsabilizada em caso de acidente.

O sindicato da categoria garante que o movimento é legítimo, já que os trabalhadores tentam negociar com a empresa há algum tempo e os representantes da Isogama sequer comparecem às reuniões e tampouco mantém diálogo com o Sindiquímica para entrar em um possível acordo.

O Sindiquímica informa que discutiu propostas entre os trabalhadores para apresentar e chegar à um consenso com a direção da empresa, principalmente quanto: ao pagamento do fator de periculosidade, subsídio a ser pleiteado pelo trabalhador em decorrência de possíveis danos em atividades que apresentam riscos; o fim do assédio moral; reajuste de jornada de trabalho; política de cargos e salários; maior assistência aos trabalhadores afastados; e pagamento de passivos de Participação de Lucros e Resultados (PLR), entre outras pautas.

A Isogama atua na área de processamento químico de parafina.

 

Mais informações com Carlos Itaparica, telefone 8884-0484 e José Réis, 8857-0108

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram