Após pressão do sindicato, San Antonio resolve quitar todos os seus débitos com os trabalhadores terceirizados

Quarta, 16 Maio 2012 10:56
Avalie este item
(0 votos)

Sindipetro RN

Após longo embate e forte pressão do SINDIPETRO/RN, eis que a San Antonio resolve quitar todos os seus débitos com os trabalhadores. A decisão foi anunciada em reunião com o Sindicato e a FUP, na sede da Federação no Rio de Janeiro, no último dia 8 de maio. Ao todo, o valor devido pela terceirizada soma R$ 12 milhões, que será pago a partir do próximo dia 16 de maio.

Desde o início do ano, quando informou que abandonaria o contrato com a Petrobrás no RN, a San Antonio tentava fugir do pagamento correto das verbas rescisórias. Chegou ao absurdo de propor parcelamento, sem incluir no montante a multa de 40% do FGTS, sob a alegação de dificuldades financeiras. A justificativa caiu por terra quando vazou para a imprensa nacional a notícia de que a contratada faria um investimento de R$ 50 mihões na quase falida Lupatech, em conjunto com a Petros e o BNDES, que investiriam R$ 300 milhões cada um.

A informação, que não foi desmentida pela contratada, respaldou ainda mais a posição do Sindicato, que levou o embate à Justiça e exigiu a quitação dos débitos com os trabalhadores, conforme prevê a lei. Ações anti-sindicais e contraventoras marcaram a reação da San Antonio, que tentou intimidar trabalhadores para assinatura de aviso prévio com data retroativa, além de enviar gerentes e supervisores a assembleias, com intuito de influenciar nas decisões.

Outros absurdos registrados durante a negociação foram a tentativa frustrada da empresa de convocar assembleias – papel exclusivo do sindicato; além do envio de e-mails mentirosos, divulgando que o SINDIPETRO/RN concordava com a proposta de parcelamento dos débitos, o que nunca existiu. O SINDIPETRO-RN espera que o caso San Antonio sirva de lição a outras empresas que cogitam dar calotes nos trabalhadores.

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram