Acidente grave com trabalhador da PCP em P-48. Mais de 200 petroleiros continuam em cárcere privado

Domingo, 20 Outubro 2013 20:16

Sindipetro-NF

O ajudante de Caldeiraria, Elísio, da PCP sofreu um grave acidente com fratura exposta a bordo de P-48. A plataforma está sendo operada pela equipe de contingência selecionada pela Petrobrás e segundo os trabalhadores a pressão a bordo está grande para cumprimento de pendências da marinha.

O acidente aconteceu na praça de máquinas de P-48, onde trabalhavam juntos montador de andaime, pintor, maçariqueiro soldador e lixador, todos no mesmo espaço e em ritmo frenético no trabalho.

O trabalhador só foi atendido pelo enfermeiro após 45 minutos, porque não conseguiam localizar onde estava o acidentado. Para o NF, essa é a maior demonstração que a operação por equipes de contingência coloca em risco todos trabalhadores da unidade.

Duzentos e nove trabalhadores ainda em cárcere privado

 

O Sindipetro-NF recebeu até às 12h de domingo, 20, informações de que em pelo menos 13 plataformas da Bacia de Campos ainda há petroleiros grevistas mantidos em cárcere privado. O número de trabalhadores que aderiram à greve e solicitaram desembarque chega a 209.

O Sindipetro reafirma seu repúdio ao comportamento da empresa, que pratica o crime de cárcere privado para manter a produção a todo custo, como denunciado pela entidade à Vara do Trabalho de Macaé e à Polícia Federal.

As informações sobre o cárcere privado e outras ocorrências nas plataformas e demais bases podem ser enviadas paraEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram