Sindipetro-NF reforça cobrança sobre condições de vivência, alimentação e climatização a bordo das plataformas

Arte: Sindipetro NF

O descaso com as necessidades básicas dos trabalhadores e trabalhadoras continua. Nesta semana, o sindicato voltou a receber denúncias sobre a má qualidade dos serviços prestados pela hotelaria em unidades da Bacia de Campos.

Na P-48, trabalhadores relatam que estão enfrentando sérios problemas com a limpeza da plataforma. Segundo a denúncia, os camarotes não estão sendo limpos diariamente e pelo menos metade dos quartos estava sem limpeza há mais de dez dias.

Os banheiros coletivos do office, vestiário, oficina, escritório e área estão na mesma situação. Além da falta de limpeza dos banheiros, outro problema crítico é o não recolhimento dos lixos em geral (cestos do casario, ponto de lanche, banheiros, camarotes, salas de operadores, escritórios), o que deixa os trabalhadores em condições desumanas de convivência.

Ainda de acordo com os denunciantes, todos os responsáveis pela fiscalização do contrato estão cientes dessa situação e alegam que a plataforma tem apenas dois taifeiros para cobrir toda a unidade, devido a uma mudança no contrato.

Na P-37, o ar condicionado central apresentou problemas e o split não atende à demanda, deixando os trabalhadores também em condições inadequadas.

Recentemente, trabalhadores da P-25 encaminharam uma carta-manifesto ao Sindipetro-NF com reclamações sobre a má qualidade dos serviços prestados pela hotelaria. Segundo os trabalhadores, após a mudança da prestadora de serviço, os alimentos servidos passaram a ser de baixa qualidade e a maioria dos profissionais é sem experiência. Além dos trabalhadores de P-25, P-43, P-50 e P-35 encaminharam denúncias semelhantes.

Como se todos esses problemas já não fossem o suficiente, o Sindipetro-NF recebeu denúncia de atraso nos salários dos trabalhadores das empresas de hotelaria.

Para o Sindipetro-NF, é inadmissível que os trabalhadores enfrentem esse tipo de problema enquanto estão exercendo o seu trabalho. A empresa tem a obrigação de oferecer condições decentes para a categoria e o sindicato reforçará a cobrança necessária.

A orientação do sindicato à categoria é que realize uma reunião extraordinária de Cipa a bordo para registrar os ocorridos ou faça um manifesto e encaminhe ao sindicato para servir de prova aos órgãos fiscalizadores, que serão acionados para realização de uma auditoria a bordo.

A entidade reforça a importância do encaminhamento de denúncias por parte da categoria petroleira, através do e-mail [email protected]

[Da imprensa do Sindipetro NF]