Folha criminaliza greve dos petroleiros e beatifica Paulo Roberto Costa

Segunda, 09 Novembro 2015 07:27

Na sexta-feira (06), a Folha de São Paulo publicou um editorial repleto de mentiras e de preconceito de classe, onde ataca os petroleiros e até mesmo culpa os trabalhadores pelos mal feitos dos gestores. Intitulado “Petrobrás capturada”, o texto distorce as reivindicações da FUP e trata a greve em defesa da retomada dos investimentos da empresa, como “irresponsável” e “corporativista”.

Neste domingo (08), a mesma Folha de São Paulo publicou entrevista de página inteira com Paulo Roberto Costa, onde ele é transformado ora em vítima, ora em herói. O título, “A solidão do delator”, já sinaliza o objetivo da matéria, que, entre vários trechos que enaltece sua capacidade de superação e altruísmo, um ganha destaque especial: “As pessoas dizem: Parabéns! Muito bem! Você entregou os políticos”.

[imagem blog Tijolaço]

O ex-diretor da Petrobrás - que, segundo a Procuradoria Geral da República, recebeu cerca de R$ 358 milhões em propinas de empreiteiras, mas foi condenado pelo juiz Moro a singelos três anos de prisão domiciliar – vira herói nas páginas da Folha de São Paulo, enquanto os petroleiros são criminalizados porque lutam em defesa da empresa.

Esse é o jornalismo que se pratica nos veículos de comunicação controlados pelas elites.

 

Fonte: FUP

 

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram