FUP e sindicatos fazem atos por todo Brasil

Sexta, 11 Novembro 2016 16:06

  

Nesta sexta-feria, 11 de novembro, a classe trabalhadora e os movimentos sociais realizam o Dia Nacional de Greve e em defesa dos direitos. A FUP e seus sindicatos filiados participam do movimento, e realizam manifestações por todo o Brasil. 

No estado de Amazonas, o ato ocorreu em frente à Refinaria de Manaus, e reuniu cerca de 400 pessoas. Houve atraso de duas horas na entrada para o turno da manhã. No Paraná, houve um atraso e paralisação das 6h às 8h30 da manhã, na REPAR e na FAFEN-PR. A manifestação foi do conjunto Sindipetro PR/SC, Sindiquímica PR, e Sindmont.

 

Em Duque de Caxias, estado do Rio de Janeiro, o coordenador geral da FUP, Zé Maria, participou do ato em frente à REDUC, e relembrou a importância da data para a luta e resistência trabalhadora. “Nós vivemos um golpe de estado, e agora vivemos a ameaça de outros golpes, como a PEC 55, a reforma da previdência e a privatização da Petrobrás, nas mãos da gestão entreguista de Pedro Parente”.

No norte fluminense, petroleiros, estudantes e trabalhadores rurais sem terra realizaram protesto na rodovia Amaral Peixoto, em Macaé, próximo à base do Parque de Tubos, da Petrobrás. A estrada foi interditada nos dois sentidos por volta das 6h. Os militantes incendiaram pneus, ergueram faixas e fazem discursos sobre as pautas do movimento, contra o corte de direitos, o desmonte da Petrobrás e a entrega do Pré Sal.

Na Bahia, a mobilização começou cedo nas rodovias, com paralisações e protestos na BR 324 (6 pontos), BR 101 (7 pontos), BR 242 (3 pontos), BR 030 (2 pontos), BA 093 Industrial (9 pontos), BA 001 (1 ponto), BA 142 (5 pontos) e BA 407 (3 pontos). Em Salvador, os trabalhadores e representantes de movimentos sociais se concentraram, às 7h, em frente ao shopping da Bahia, no Iguatemi, onde também se manifestaram. No Rio Grande do Norte, o ato ocorreu em frente ao Polo Industrial de Guamaré-RN, com trabalhadores cruzando os braços por 24h.

 

 

Nos sindicatos unificados de São Paulo, ocorreu atraso na Replan, reunindo cerca de 700 trabalhadores, próprios e terceirizados. Na Recap, localizada em Mauá, também houve atraso de três horas. No terminal São Caetano do Sul, a adesão foi de mais de 90% dos funcionários e terceirizados, em luta por uma proposta digna de Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), e pela preservação da empresa.

Os demais sindicatos filiados à FUP, Sindipetro Minas Gerais, Espírito Santo, Ceará/Piauí, Rio Grande do Sul e Pernambuco/Paraíba também participaram desta sexta-feira de luta, com expressivas manifestações. Toda a categoria em defesa da Petrobrás, no  combate ao golpe de Estado, ao congelamento de investimentos sociais, dentre outras bandeiras.

 

FUP

Última modificação em Segunda, 16 Janeiro 2017 18:36

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram