PETROLEIROS DE TODO O PAÍS APROVAM GREVE NACIONAL DE 24H NA PRÓXIMA SEXTA E SEGUE MOBILIZADA

Terça, 21 Julho 2015 18:49

Em todo o País aumenta a mobilização para a construção da greve nacional dos petroleiros durante o dia 24 de julho, contra o novo Plano de Gestão e Negócios aprovado pelo Conselho de Administração da Petrobrás. O novo plano é uma ameaça clara à sobrevivência da empresa como estatal, na medida em que prevê cortes de 89 bilhões de dólares em investimentos e despesas, além da venda de ativos de patrimônio da ordem de 57 bilhões de dólares.

 A greve nacional de 24 horas é uma advertência da categoria à atual política da gerência que pode desmantelar o Sistema Petrobrás, pondo em risco milhares de empregos, especialmente os dos terceirizados da companhia e suas subsidiárias. Em todos os sindicatos, as bases estão aprovando por amplíssima maioria a indicação de paralisação da FUP.

 Além da greve de um dia, a Federação também indicou às bases a aprovação do desconto de 2% da remuneração dos trabalhadores nos meses de agosto e setembro e a não devolução do imposto sindical deste ano para o financiamento das campanhas em defesa da Petrobrás e do Brasil e contra os desinvestimentos anunciados no Plano de Negócios. Desse montante, 50% serão destinados à Federação e 50% para o sindicato. Também estão sendo aprovas assembleias permanentes e Estado de Greve na categoria.

  

Bases que estão seguindo as orientações aprovadas na 5ª Plenafup

Sindipetro-AM    - Os petroleiros da Reman, Transpetro dos aquaviários Tamanaus e Solimões e das unidades administrativas realizaram assembleias desde o último dia 7 e os indicativos da FUP foram aprovados por ampla maioria nessas bases.

Sindipetro-CE   - Lubnor e Transpetro aprovaram por ampla maioria. As demais unidades seguem realizando assembleias com os trabalhadores mobilizados.

Sindipetro-RN - A greve do dia 24 foi aprovada por ampla maioria (90%)   da categoria das bases das usinas termoelétricas UTE-JSP, do ativo de produção do Alto Rodrigues, do campo de Riacho da Farquilha, Transpetro Mossoró, Porto de Guamaré e Campo de Santo Amaro (Mossoró).

Sindipetro-PE - No terminal de Suape, houve atraso de 2h na entrada do expediente na quita (16).  Em todas as unidades a paralisação do dia 24 foi aprovada por ampla maioria (95%).

Sindipetro-BA - Nas assembleias, 89,5% dos trabalhadores aprovaram os indicativos da FUP, 8% foram contra e 2,5% se abstiveram. Os trabalhadores da Rlam, Conjunto Pituba e COFIP, também aprovaram na última sexta, 17, em assembleias, os indicativos da FUP, de greve de 24 horas no dia 24/07, estado de greve, assembleia permanente e uma taxa assistencial de 2% para que a Federação e sindicatos possam fazer uma campanha em defesa da Petrobrás e do pré-sal.

Sindipetro-MG - Regap e UTE-ACH aprovaram em assembleias, por ampla maioria. Em Montes Claros, as assembleias foram realizadas com aprovação. Já na Usina Termelétrica de Juiz Fora a greve foi aprovada nesta segunda-feira, 20.

Sindipetro-ES - As unidades UTGC (Cacimbas), UTG (na S-8), São Mateus, Norte Capixaba, Terminal Aquaviário de Vitória, Terminal Barra do Rancho e Ecomp (Araracruz) já aprovaram.

Sindipetro-Caxias - Nas unidades da Reduc, Tecam, UTE e GLB os indicativos da FUP foram aprovados por amplíssima maioria. Já na quarta (15), os petroleiros fizeram uma manifestação na porta da refinaria dando início às atividades preparatórias para a greve do dia 24.

Sindipetro-NF - A categoria petroleira na região aprovou a greve em assembleias que foram finalizadas neste domingo, 19, nas bases de terra e nas plataformas marítimas do Norte Fluminense. O Sindicato protocolou na tarde desta segunda-feira, 20, na Petrobrás o aviso de greve e divulgou para a sociedade um comunicado sobre a paralisação.

Sindipetro Unificado-SP - Na quinta (16), pela primeira vez, os trabalhadores dos nos nove terminais dessa base pararam por três horas em Barueri, Guarulhos, Guararema, Riberão Preto, Uberaba, Uberlândia, Senador Canedo e Brasília. Em todos os terminais dessas bases os petroleiros também aprovaram a greve nacional da FUP. 

Sindipetro PR/SC – Os trabalhadores aprovaram a greve e atrasaram a entrada no expediente nos terminais de Paranaguá, Biguaçu, Itajaí, São Francisco do Sul e Guaramirim. Na Repar, houve protesto na sexta (17). As mobilizações prosseguiram até esta terça-feira, 21, na Usina do Xisto e no Ativo de Produção Sul, em Itajaí.

            

Sindipetro-RS – As assembleias foram canceladas na última semana por conta do mau tempo e às fortes chuvas que assolam o estado. No entanto, o sindicato realizou assembleias nesta segunda e terça em todas as unidades da Petrobrás no Rio Grande do Sul. O indicativo da FUP foi aprovado.

Sindiquímica-PR – Os trabalhadores do pólo petroquímico da Fafen também aprovaram a adesão à greve de 24 horas da categoria, em 24 de julho.

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram