updated 11:28 AM CDT, Jun 23, 2018
Domingo, 24 de Junho de 2018

Moro decreta prisão política de Lula. Movimentos fazem vigília em São Bernardo

O juiz federal Sérgio Moro determinou nesta quinta-feira, 05, a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado sem provas e em segunda instância no caso do triplex do Guarujá, menos de 24 horas após a decisão do Supremo Tribunal Federal que negou o habeas corpus a Lula, na noite desta quarta.

Moro ordenou que Lula se apresente até as 17h desta sexta-feira. A ordem foi determinada mesmo com a possibilidade ainda dos embargos dos embargos pela defesa no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4). O Tribunal de Porto Alegre emitiu um ofício dando a Moro autorização para a execução da pena.

Os movimentos sociais e sindicais, junto com várias lideranças políticas, estão a caminho de São Bernardo do Campo, onde permanecerão em vigília e preparam uma manifestação para esta sexta-feira, 06. 

FUP suspende reuniões com Petrobrás nesta sexta

Em virtude da gravidade deste fato, que coloca em alerta  todos que defendem o Estado Democrático de Direito, a FUP está suspendendo a agenda de reuniões que estavam previstas para esta sexta-feira, 06, com a Petrobrás. A direção da Federação se deslocará para São Bernardo do Campo, onde se somará aos demais movimentos na luta em defesa de Lula e da democracia. A orientação é que os sindicatos de petroleiros realizem assembleias setoriais e mobilizações em todas as unidades do Sistema Petrobrás para denunciar a prisão arbitrária do ex-presidente Lula e defender a sua inocência. 

Ordem de prisão é arbitrária

O advogado do ex-presidente Lula, Cristiano Zanin Martins, classificou como "decisão arbitrária" o ofício enviado pelo TRF-4 ao juiz Sergio Moro nesta quinta-feira, 5, que autoriza a prisão do ex-presidente.

"Estão contrariando a própria decisão do tribunal do dia 24, quando os três desembargadores determinaram que a prisão só poderia acontecer depois de exaurida toda a tramitação em segunda instância. Estamos dentro do prazo. Ainda temos os embargos dos embargos e a possibilidade de recursos extraordinário ao STJ e extraordinário ao STF", disse Zanin.

“Relativamente ao condenado e ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva,  concedo-lhe, em atenção à dignidade cargo que ocupou, a oportunidade de apresentar-se voluntariamente à Polícia Federal em Curitiba até as 17h do dia 06/04/2018, quando deverá ser cumprido o mandado de prisão”, decidiu Moro.

Confira aqui a entrevista de Zanin

Confira aqui o despacho de Moro.

Confira aqui o ofício do TRF4.

Mídia