updated 6:16 PM BRST, Nov 24, 2017
Sexta-Feira, 24 de Novembro de 2017

FUP cobra suspensão do equacionamento do PP-1

Na primeira reunião do Grupo de Trabalho paritário, que discute saídas para o déficit do Plano Petros-1, os representantes da FUP cobraram a suspensão da proposta de equacionamento apresentada pela Petros.

A reunião do GT foi realizada nesta segunda-feira, 06, com representações da Petros, Petrobrás, FUP e sindicatos.

A proposta apresentada pela FUP é que o equacionamento seja suspenso até a conclusão dos trabalhos, pois o grupo está discutindo alternativas para reduzir o impacto para os participantes e assistidos do Plano Petros-1. Os representantes da Petrobrás informaram que irão se manifestar sobre a reivindicação, após consultarem a direção da empresa.

A FUP também propôs que seja agendada uma reunião do GT com a Previc (Secretaria de Previdência Complementar) para discutir a suspensão do equacionamento.  A próxima reunião do Grupo será no dia 14. O conselheiro eleito, Paulo César Martin, fala sobre o GT, no vídeo abaixo, ao final da matéria.

Entenda

No dia 12 de setembro, o Conselho Deliberativo da Petros aprovou um plano de equacionamento do déficit do Plano Petros-1 pelo teto, impondo aos participantes e assistidos a conta de problemas estruturais que são de responsabilidade exclusiva dos gestores, como estamos há anos denunciando.

A FUP reconhece que o Plano Petros-1 precisa de novos aportes financeiros, mas isso deve ser feito de forma que penalize o mínimo possível os petroleiros e seus familiares. 

No dia 19 de setembro, a Federação ingressou na justiça com uma Ação Civil Pública para barrar a cobrança abusiva das contribuições adicionais dos participantes e assistidos do PP-1.

Saiba mais, acessando o histórico de notícias e encaminhamentos da FUP sobre o PP-1.

FUP (atualizado às 17h40)

 

Mídia