updated 2:56 PM BRST, Nov 18, 2017
Terça-Feira, 21 de Novembro de 2017

PlenaFUP começa nesta quinta, 02, em Assentamento do MST, no Paraná

  • Publicado em I PLENAFUP

Imprensa da FUP

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) realiza, entre os dias 02 e 05 de julho, sua Primeira Plenária Nacional, no Paraná, tendo como palco dos debates um assentamento do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. Participarão da plenária 150 petroleiros de vários estados do país, além de observadores, assessores e convidados. O local dos debates é a Escola Latino Americana de Agroecologia (ELAA), que funciona no Assentamento Contestado, na cidade de Lapa.

O evento será aberto às 19 horas de quinta-feira, 02, com a presença de dirigentes sindicais brasileiros e da América Latina, representantes da Coordenação Nacional do MST e do governo do Paraná, movimentos sociais e estudantis, parlamentares e partidos políticos das frentes de esquerda. Além de debater questões relacionadas à organização sindical da categoria petroleira, a Plenária abordará temas que estão na ordem do dia da classe trabalhadora, como controle estatal e social do petróleo e gás brasileiros, soberania popular na América Latina, democratização dos meios de comunicação, direito de greve e descriminalização dos movimentos sociais, saúde e segurança do trabalhador, entre outras questões.

Cerca de 50 estudantes da Escola de Agroecologia estão trabalhando como voluntários na organização da Plenária Nacional da FUP (PlenaFUP), que tem como tema “Somos todos trabalhadores”. Várias famílias do Assentamento Contestado e outros militantes do MST no Paraná realizaram, espontaneamente, reuniões e seminários locais de formação para ampliarem seus conhecimentos sobre as lutas e organização da categoria petroleira, principalmente sobre a campanha em defesa de uma nova lei do petróleo.

“A proposta política desta plenária é ampliar a integração dos petroleiros com os camponeses, fortalecendo a unidade de classe entre trabalhadores de realidades diversas, mas ideais semelhantes”, declara o coordenador da FUP, João Antônio de Moraes.

Unidade de classe

O MST e os petroleiros têm sido parceiros históricos nas lutas por justiça social e em defesa da soberania nacional. Entre 1986 e 1988, realizaram ações conjuntas em Brasília (durante a Assembléia Nacional Constituinte) para garantir a reforma agrária, a manutenção do monopólio estatal do petróleo e a jornada de 6 horas nos turnos de revezamento. No início dos anos 90, petroleiros e MST ocuparam o Salão Verde da Câmara dos Deputados Federais para tentar impedir a quebra do monopólio e as privatizações.

Enfrentaram com greves e ocupações a política neoliberal de FHC e, desde então, continuam mobilizando o país para garantir o controle estatal e social das reservas brasileiras de petróleo e gás. Uma luta que intensificou-se nos últimos anos, ganhando adesão dos movimentos sociais e estudantis, principalmente após a descoberta das reservas do pré-sal e dos ataques dos privatistas contra a Petrobrás.

A realização da PlenaFUP ocorre no momento em que o MST enfrenta, mais uma vez, uma onda de criminalizações por parte de setores conservadores da sociedade e quando os petroleiros também reagem às ações anti sindicais da indústria de petróleo contra o direito de greve. “A I PLENAFUP acontece sob a certeza de que Somos todos trabalhadores e que a construção de uma sociedade socialista depende, necessariamente, da unidade e identidade da classe trabalhadora”, ressaltam os dirigentes da FUP, no texto de apresentação do caderno de tese que servirá de base para os debates da plenária.
 

Escola Latino Americana de Agroecologia (ELAA)

A ELAA foi fundada em 27 de agosto de 2005, através de uma parceria entre a Via Campesina, os governos da Venezuela e do Paraná, a Universidade Federal do Paraná e o MST, com o objetivo de estruturar uma rede de intercâmbio entre os camponeses da América Latina e ampliar a luta em defesa da soberania alimentar dos povos. Para receber as delegações da I PlenaFUP, a Escola de Agroecologia passou por obras de infra-estrutura realizadas pelos petroleiros, que serão fundamentais em seus projetos de educação solidária. No local, estudam trabalhadores rurais de vários países do continente, que são formados para desenvolver técnicas de produção agrícola voltadas para a preservação ambiental e a soberania alimentar.

PROGRAMAÇÃO DA PLENAFUP
 

Quinta feira, 02/07

19:00 - Abertura da 1ª PLENAFUP

21:30 - Inauguração do refeitório da ELAA e confraternização
 
Sexta feira, 03/07

08:00 – Mesas temáticas

“Greve de 1995, quebra do monopólio e Lei 9.478"

“A História de um Roubo: a Destruição do Monopólio Estatal e as Concessões do Petróleo e Gás”

Palestrantes: Frederico Lisboa Romão - petroleiro, cientista social, professor da Universidade Federal de Sergipe; Normando Rodrigues - assessor jurídico da FUP e Sindipetro-NF

10:00 - Mesa temática

“América Latina: recursos energéticos e soberania popular”
Palestrantes: João Pedro Stédile – coordenação nacional do MST; Tony León coordenador do Conselho Bolivariano dos Povos e presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Ministério de Energia e Petróleo da Venezuela; João Antônio de Moraes – coordenador da FUP

12:30 – Almoço

14:00 - Oficinas temáticas sobre Saúde e Segurança

A NR-13 e o SPIE (aplicação do Acordo do SPIE, suas auditorias e o papel dos sindicatos) - Palestrante: Marcos dos Santos Amaral - representante da FUP no Comitê de Certificação da NR-13;

O Benzeno e a CNPBz (o risco do benzeno, o Acordo Nacional, o papel da Comissão Nacional e a participação dos sindicatos) - Palestrante: Itamar Sanches - representante da CUT/CNQ/FUP na Comissão Nacional Permanente do Benzeno (CNPBz);

A CIPA e a Comissão de SMS (a organização das CIPAs, o novo anexo da NR-30,CIPAs em Plataformas, o papel da Comissão Nacional de SMS e das Comissões Locais) - Palestrante: Simão Zanardi - diretor de Saúde e Segurança da FUP

18:00 – Mesa temática

“A democratização dos meios de comunicação e os desafios dos movimentos sociais na Conferência Nacional de Comunicação”

 
Palestrantes: Jonas Valente - Intervozes e Comissão Organizadora Nacional da Conferência de Comunicação; João Paulo Mehl - Coletivo Soylocoporti e Comissão Paranaense Pró-Conferência de Comunicação

20:00 – Jantar e noite cultural

Sábado, 04

08:00 - Apresentação das teses de conjuntura e eleição da tese guia

09:45 - Início dos trabalhos em grupos

12:30 – Almoço

14:00 – Reinício dos trabalhos em grupo

20:00 – Jantar e noite cultural
 
Domingo, 05
 

08:00 – Plenária final

13:00 – Almoço de encerramento 

Acompanhe pelo portal da FUP a cobrtura simultânea da Plenária

Mídia

Última modificação emSegunda, 20 Fevereiro 2012 12:15