Uma das importantes iniciativas da categoria petroleira nestes tempos de pandemia, tem sido a campanha Petroleiros Pela Vida. O objetivo é arrecadar recursos financeiros entre os trabalhadores e, com a ajuda - e também contribuições - do Sindicato, comprar cestas básicas, kits de higiene e equipamentos de proteção, para doar às comunidades carentes e setores de atendimento à saúde da população. Já foram entregues doações em Esteio e Canoas. Nesta semana, mais sacolas foram entregues pelos dirigentes sindicais.

Os mais recentes beneficiados com as doações dos petroleiros foram moradores da Vila Cruzeiro, em Porto Alegre e do bairro Santo Afonso, em Novo Hamburgo. Na Cruzeiro os mantimentos foram levados à sede da União de Vilas da Cruzeiro. Já na Santo Afonso, as doações foram entregues para o Comitê de Crise Santo Afonso. O Sindipetro-RS, a partir do engajamento dos trabalhadores e trabalhadoras na campanha, já entregou mais de 100 cestas básicas e cerca de 200 viseiras aos trabalhadores da saúde, além de máscaras aos petroleiros. O Sindicato continua, ainda, participando da campanha da CUTRS, contribuindo com cestas básicas.

No total, a Central gaúcha já entregou cerca de 20 toneladas de alimentos, além de máscaras de tecido, distribuídas para trabalhadores e trabalhadoras da periferia, o que mostra o compromisso das entidades sindicais com quem mais precisa de ajuda.

Doar também é uma forma de luta

As doações feitas pela categoria têm feito a diferença para muitas famílias em situação de risco social e, também, para quem ficou desempregado em função da pandemia. De acordo com os últimos dados divulgados, o número de desempregados cresceu cerca de um milhão desde que começou a doença.

Muitas empresas estão se aproveitando da situação para demitir, reduzir salários e algumas inclusive estão demitindo e não estão pagando as rescisões. No RS, somente no setor calçadista, por exemplo, já foram cerca de 20 mil postos de trabalho a menos. Além disso, os informais e autônomos tem tido dificuldades para receber o valor de R$ 600 a que têm direito, e muitas famílias estão passando necessidade.

Por isso, a continuidade da Campanha e a ajuda de cada um e cada uma, com qualquer valor, é fundamental. A solidariedade também é uma forma de luta. É um jeito de mostrar que continuamos lutando e que a classe trabalhadora enfrentará este momento de forma unida.

Nas nossas greves dos anos 90, a solidariedade de outras categorias e do MST, doando alimentos para os petroleiros, fez muita diferença. A mesma diferença que podemos fazer agora, defendendo a vida. Se você ainda não doou, doe, e se já participou, pode doar novamente.

As doações podem ser feitas com qualquer valor para a conta 103344-1, agência 3866-0 do Banco do Brasil (CNPJ 92968023000102). Essa conta é específica para a campanha.

[Sindipetro RS]

Publicado em SINDIPETRO-RS

Lançada no dia 11 de maio, a campanha “Petroleiros pela Vida”, uma ação de solidariedade do Sindipetro-ES em parceria do Levante Popular da Juventude, busca arrecadar verba para ajudar em duas frentes durante a pandemia da covid-19:

1. Ampliar o projeto Marmitex Solidária, que distribui marmita gratuitamente para a população carente da região da Serra.

2. Ajudar as mulheres do Quilombo São Domingos a construir um poço artesiano para atender às necessidades de sua produção, baseada na diversificação e na agroecologia.

Em dez dias, a campanha já arrecadou mais de R$ 3,1 mil entre os petroleiros. Veja a nota do Sindipetro-ES:

Nossa categoria está fazendo bonito! Já conseguimos arrecadar mais de R$ 3,1 mil, em 10 dias, e estamos ajudando quatro projetos solidários, em nosso Estado, por meio da campanha “Petroleiros Pela Vida”. E podemos fazer muito mais!

Só para o projeto Marmitex Solidário, que fica na Serra, nós já conseguimos doar mais de 300 quilos de alimentos, e ainda vamos pagar o aluguel do espaço pelos próximos dois meses. Ajuda fundamental para que o projeto siga em atividade, cozinhando e doando marmitas para mais de 200 pessoas, por dia.

Também vamos poder ajudar o Quilombo São Domingos. Vamos comprar para a comunidade uma bomba elétrica, que vai ser fundamental na irrigação e, assim, manter os trabalhos agrícolas do quilombo.

Ainda estamos ajudando o MOVA-SE, do projeto SOS Periferia, bancando mais de 150 litros para que eles possam levar as cestas básicas e entregar na casa de todos os beneficiados, moradores de bairros da periferia.

E também seguimos com as ações de doação de cestas básicas. Recentemente, foram doadas mais dez cestas, no Assentamento Ondina Dias, no Norte do Estado.

Agora, queremos (e podemos) fazer mais. Continue ajudando. E se ainda não participou, colabore! Doe! Toda ajuda é bem-vinda, e vai fazer a diferença para que a gente possa manter essas ações da campanha “Petroleiros Pela Vida”.

Você pode contribuir pelo PicPay SindipetroES ou, ainda, pelo site http://vaka.me/1050496, pagando por cartão e, até, por boleto. Sua ajuda é fundamental!

[Com informações do Sindipetro-ES]

 

Publicado em Movimentos Sociais

Em apenas um mês de campanha, ação solidária coordenada por trabalhadores da Petrobras já distribuiu 577 cestas de produtos orgânicos, totalizando mais de 2,5 toneladas de alimentos produzidos através da agroecologia em assentamentos e acampamentos do MST.

Nessa segunda-feira, dia 11, foram distribuídas 150 cestas em 9 organizações espalhadas pela cidade de Campinas. A região que mais recebeu foi a dos bairros Monte Cristo, Oziel e Gleba, onde se encontram a CUFA (Central Única das Favelas), o Quilombo Urbano e a sede da Associação da ex-ocupação Joana D’Arc.

Pela proximidade com o dia das mães, também foram incluídos nessa semana kits com produtos de higiene feminina. Pessoas que trabalham com famílias carentes relatam que esse tipo de produto raramente tem doação. Professoras relatam que alunas chegam a faltar da escola por não terem de absorvente.

A comunidade da EMEF Pr. Emílio Miotti também tem feito trabalho de levantar as famílias que enfrentam mais necessidades nesse período e distribuir as cestas recebidas.

A ação está sendo coordenada pela Sindicato dos Petroleiros e quem quiser doar pode fazer por cartão, boleto, transferência bancária ou pagamento recorrente através da página: https://sindipetrosp.org.br/apoie-a-luta-dos-petroleiros/ 

[Via Carta Campinas]

Publicado em Movimentos Sociais

O IFF (Instituto Federal Fluminense), em parceria com o Sindipetro-NF, começou a produzir, na última quinta-feira, sabonete líquido que será distribuído em comunidades em vulnerabilidade social e para moradores em situação de rua em Campos dos Goytacazes e em Macaé.

O Instituto faz toda a produção de 3 mil frascos de 500ml. O sindicato entrou na parceria fornecendo os insumos e se responsabilizará pela distribuição — incluindo o sabonete em kits com outros produtos de higiene. A previsão é de que a produção dure duas semanas.

O sindicato tem desenvolvido ações junto a comunidades em vulnerabilidade social durante a pandemia. Foram distribuídas 700 cestas básicas em Campos e em Macaé. A distribuição é feita em parceria com diversas entidades filantrópicas, igrejas e movimentos sociais, para garantir o atendimento a quem realmente necessita.

 

 

[Via Sindipetrp-NF | Fotos: Luciana Fonseca / Imprensa do NF]

 

Publicado em Movimentos Sociais
O Sindicato Unificado dos Petroleiros do Estado de São Paulo acredita no papel cidadão que as organizações sindicais devem exercer e, neste momento em que a luta contra a retirada de direitos trabalhistas deve caminhar paralelamente ao apoio às famílias de trabalhadores em situação mais fragilizada, tem intermediado a doação de cestas a comunidades periféricas do estado de São Paulo e Campinas.

O objetivo é manter essas ações nas próximas semanas e acrescentar também a distribuições de alimentos o fornecimento de botijões de gás de cozinha para quem tem sofrido com o isolamento social e a queda na renda por conta das restrições impostas pela epidemia da COVID-19.

Por isso, convidamos nossa categoria e companheiros que acreditam na unidade da classe trabalhadora para que possam no ajudar nessa campanha com doações no valor que puder. Basta encaminhar a quantia que desejar para os dados disponibilizados abaixo.

Faremos periodicamente a prestação de contas de tudo que foi arrecadado, com o registro de imagens e vídeos da distribuição dos produtos em página e em nossas redes sociais.

A classe trabalhadora conta com você para manter essa luta de pé!

Confira abaixo o passo a passo das três opções de doação:

Com a doação de dirigentes, trabalhadores e apoiadores, o Sindicato Unificado dos Petroleiros do Estado de São Paulo proporcionará a entrega de 67 cestas a comunidades periféricas da cidade de Campinas, onde fica uma das bases da entidade.

Os alimentos, todos orgânicos, produzidos sem o uso de agrotóxicos, foram adquiridos junto ao assentamento Milton Santos do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e a distribuição é organizada pela Central Única das Favelas (CUFA).

A primeira comunidade a ser beneficiada é a de Monte Cristo, na próxima segunda-feira (13), às 10 horas. A entrega ocorrerá no Bar da Rosinha, que fica próximo à creche Douglas Andreani.

Ex-diretor do sindicato e um dos responsáveis pela organização das doações Gilberto Soares, o Giba, destaca que a solidariedade e a integração com a comunidade são características do sindicato que, neste momento de crise, precisam crescer ainda mais.

“Nosso sindicato busca sempre ir além das necessidades da categoria e aproveitamos que quinzenalmente temos o pessoal do MST vendendo produtos orgânicos no sindicato para estabelecer uma parceria e ajudar quem tem mais sofrido com esse isolamento social”, explicou.

Quem quiser contribuir com doações pode entrar em contato com Giba (19) 99231-5252 ou Silvio Marques (19) 99158 1358.

Sindicato cidadão

Após a entrega das cestas em Monte Cristo, sindicato, MST e CUFA devem distribuir os alimentos também em Oziel e Gleba. Mais de 10 mil famílias serão beneficiadas nessas ações que acontecerão até o final de abril.

Para o coordenador da regional Campinas, Gustavo Marsaioli, a ação reforça a postura cidadã de quem precisa olhar o momento para atuar em benefício da classe trabalhadora.

“Tem sido um período de muito trabalho, apesar de nossas sedes estarem fechadas, porque, ao mesmo tempo, temos lutado contra a retirada de direitos da nossa categoria e buscado contribuir com as comunidades que mais necessitam, observando a partir das regiões onde temos nossas bases. Mas esse é o nosso papel, de sindicato que dialoga com os trabalhadores a partir de sua realidade”, apontou.

[Via Sindipetro Unificado de SP]

Publicado em Cidadania

FUP reúne petroleiros em ações voluntárias para alertar a sociedade sobre demissões e transferências que estão sendo realizadas pela Petrobrás

Nesta segunda-feira, dia 25, a Federação Única dos Petroleiros (FUP) irá mobilizar os trabalhadores do setor de petróleo para doarem sangue, em virtude do Dia Nacional de Doação de Sangue. A ação faz parte das mobilizações solidárias nacionais, que vão ocorrer até o dia 29 de novembro e que têm o intuito de chamar a atenção da sociedade sobre os riscos da atual política de demissões e transferências em massa e de venda de ativos da Petrobrás para o bolso do consumidor, para o meio ambiente e para os trabalhadores em geral.

A mobilização, que tem como mote a #petrobrasnaveia, acontecerá inicialmente na Cinelândia, no centro do Rio de Janeiro, no Hemocentro Unicamp, em Campinas (SP), no Hemoba, em Salvador (BA), no Hemope, em Recife (PE) e no Hospital Erasto Gaertner, em Curitiba (PR). No Rio, ônibus trarão petroleiros de vários pontos do estado para doar sangue – já está confirmada a presença de pelo menos 100 trabalhadores. Já em Salvador, os petroleiros sairão do Polo de Camaçari e de outros pontos da região metropolitana em direção ao banco de sangue. Outras cidades também estão se mobilizando para movimentar suas agendas no decorrer da semana.

Na terça-feira (26/11), a mobilização irá ocorrer em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense. Os petroleiros vão se dirigir ao Aeroporto do Farol de São Tomé para doarem sangue em um ônibus cedido pelo Hemorio. Ações similares serão realizadas durante toda a semana em outras cidades do país, como Curitiba, no Paraná.

A campanha #petrobrasnaveia está nas redes sociais para chamar a atenção da população para o desmonte da Petrobrás, e adota a cor laranja, a mesma dos macacões dos petroleiros da companhia.

Pleitos

A FUP anunciou a mobilização por tempo determinado (5 dias), sem comprometimento do abastecimento de petróleo e combustíveis do País, para cobrar da Petrobrás o cumprimento do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), que foi mediado pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Além de demissões e transferências em massa, a diretoria da Petrobrás incluiu metas de segurança, saúde e meio ambiente (SMS) como critérios para pagamento de bônus e concessão de vantagens. Tais ações, além de ferir cláusulas do acordo, podem atingir diretamente interesses da sociedade, por aumentarem o desemprego e precarizarem as condições de trabalho nas instalações da companhia, aumentando o risco de acidentes. Além disso, a atual política de preços da Petrobrás vem prejudicando o consumidor, promovendo constantes aumentos no preço dos combustíveis, o que deverá ser ampliado com a venda de ativos importantes da empresa, como as refinarias.

SERVIÇO

Mobilização Petroleiros - Dia Nacional de Doação de Sangue

Data: segunda-feira, 25/11

Locais:

  • Cinelândia - Praça Floriano – Centro, Rio de Janeiro 

Horário: 8 às 12h 

  • Hemocentro Unicamp - Universidade Estadual de Campinas - R. Carlos Chagas, 480 - Cidade Universitária, Campinas – SP

Horário: 8 às 12h 

  • Hemoba - Ladeira do Hospital Geral, S/N - Brotas, Salvador, Bahia

Horário: 8h às 12h 

  • Hemope - R. Joaquim Nabuco, 171 - Graças, Recife, Pernambuco

Horário: A partir de 10h 

  • Hospital Erasto Gaertner - R. Dr. Ovande do Amaral, 201 - Jardim das Américas, Curitiba, Paraná

Horário: A partir de 10h 

Mobilização Petroleiros – Campos (RJ)

Data: terça-feira, 26/11

Horário: 8 às 12h

Local: Aeroporto do Farol de São Tomé – Rodovia RJ-216, 56, Campos dos Goytacazes – RJ


Contatos para a imprensa:

José Maria Rangel - (22) 98123-1875

Deyvid Bacelar - (71) 99977-8405


[Arte: Sindipetro Duque de Caxias]

Publicado em Sistema Petrobrás

O Sindipetro-NF convida toda categoria petroleira em greve a participar de uma ação solidária de doação de sangue nesta segunda, 25. É hora de mostrar para população brasileira que a força de nossa luta está no sangue.

Para doar basta comparecer as unidades de coleta de sangue, apresentar documento com foto. Menores de 18 anos só podem doar com o consentimento formal dos responsáveis. Compareçam ao hemocentro de sua cidade. O NF incentiva que a doação não aconteça apenas no dia 25, mas que se estenda durante toda semana.

Essa atividade faz parte da paralisação das atividades da categoria petroleira que acontece de 25 a 29 de novembro para exigir da Petrobrás o cumprimento do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), que foi mediado pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST). Durante esse período, os petroleiros vão promover ações para alertar a sociedade sobre os riscos da política de demissões em massa e transferências que vem sendo aplicada pela atual diretoria da companhia.

Locais de Doação na região:

Hemocentro Macaé:

Localizado no Hospital São João Batista

Rua Dr. Bueno, 40 – Imbetiba, Macaé – RJ,

De segunda a sexta

Das 7h30 às 11h30

 Telefone: (22) 2796 – 1756

Capacidade: 25 pessoas por dia

 

Hemocentro Campos dos Goitacazes

Localizado no Hospital Ferreira Machado

R: Rocha Leão, 2 – Caju, Campos dos Goytacazes.

Todos os dias, inclusive aos sábados e domingos.

De: 07h às 18h

Telefone: (22) 98175-0568

*Capacidade: 100 pessoas por dia

 

Quem pode doar?

  • Pessoas entre 16 e 69 anos de idade que estejam pesando mais de 50 kg
  • Pessoas que estejam gozando de bom estado de saúde e que sigam os seguintes passos:
  • Estar alimentado. Evite alimentos gordurosos nas 3 horas que antecedem a doação de sangue: Caso seja após o almoço, aguardar 3 horas. Após o café da manhã, tomar somente café puro com biscoitos;
  • Ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas;
  • Pessoas com idade entre 60 e 69 anos só poderão doar sangue se já o tiverem feito antes dos 60 anos;
  • A frequência máxima é de quatro doações de sangue anuais para os homens e três doações para as mulheres;
  • E, o intervalo mínimo entre uma doação e outra é de dois meses para os homens e três meses para as mulheres;

Quem não pode doar? 

  • Ter passado por um quadro de hepatite após 11 anos de idade;
  • Evidência clínica ou laboratorial de doenças transmissíveis pelo sangue(Hepatite B e C, AIDS, doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doenças de Chagas);
  • Uso de drogas ilícitas injetáveis;
  • Malária

Impedimentos Temporários: 

  • Estar gripado, resfriado e com febre (aguardar 7 dias após desaparecimento dos sintomas)
  • Estar em período gestacional ou pós-gravidez (90 dias);
  • Estar em período de amamentação ( Até 12 meses após o parto);
  • Ingestão de bebida alcóolica nas 12 horas que antecedem a doação;
  • Tatuagem ou piercing nos últimos 12 meses;
  • Extração dentária;
  • Apendicite, hérnia. Amigdalectomia, varizes: 3 meses
  • Colecistectomia, histerectomia, nefrectomia, redução de fraturas, politraumatismo sem sequelas graves, tireoidectomia, colectomia: 6 meses;
  • Transfusão de sangue: 1 ano;
  • Vacinação: o tempo de impedimento varia de acordo com o tipo de vacina;
  • Exames/procedimentos com utilização de endoscópio nos últimos 6 meses;
  • Ter sido exposto a situações de risco acrescido para infecções sexualmente transmissíveis (aguardar 12 meses após a exposição).

[Via Sindipetro-NF]

Publicado em Cidadania

Toda solidariedade aos petroleiros da MontevideoGas

 A FUP e seus sindicatos manifestam total solidariedade aos petroleiros da distribuidora de gás natural do Uruguai, a MontevideoGas, cuja concessão pertence à Petrobrás. Os trabalhadores estão enfrentando demissões e retirada de direitos, em função do desmonte que a empresa brasileira está promovendo no setor de gás do país vizinho.

Sem negociação com o sindicato local, a Petrobrás anunciou nesta quinta-feira, 09, pela imprensa uruguaia a demissão de sete empregados. Em março, outro trabalhador da MontevideoGas já havia sido demitido e 20 foram encaminhados para o seguro desemprego.

Segundo a Unión Autónoma de Obreros y Empleados de la Compañía del Gas (Uaoegas), gestores locais da Petrobrás teriam comunicado a intenção de demitir 37 trabalhadores.

O pacote de venda de ativos, aprovado pelo Conselho de Administração da empresa no dia 26 de abril, inclui a saída do setor de distribuição de gás do Uruguai.

Para protestar contra as demissões e a precarização das condições de trabalho, três empregados da MontevideoGas estão em greve de fome desde o dia primeiro de maio.

 O sindicato uruguaio vem denunciando as ações antissindicais da Petrobrás e os ataques contra os direitos da categoria desde o ano passado.  Entre outubro e novembro, 21 trabalhadores da MontevideoGas realizaram uma greve de fome por 25 dias para garantir o acordo de trabalho, sem perdas de direitos, nem demissões. A Petrobrás descumpriu o acordo, levando os petroleiros a uma série de mobilizações em março e em abril.

Esta semana, a Fancap, federação dos trabalhadores da empresa estatal de energia do Uruguai (Ancap), anunciou que poderá cortar o fornecimento de combustível para postos da Petrobrás e para um aeroporto, em retaliação às demissões feitas pela empresa.  

A Uaoegas já chegou a cobrar o fim da concessão que a estatal brasileira tem sobre a distribuição de gás natural no Uruguai, acusando a petrolífera de atuar de forma predatória no país, interessada apenas em lucros, sem responsabilidade social e impondo preços exorbitantes aos consumidores. Ainda segundo o sindicato, desde que a Petrobrás chegou ao Uruguai, o número de consumidores caiu de 45 mil para 38 mil e a empresa se recusa a discutir um plano de reestruturação do setor com os representantes dos trabalhadores e com o governo.

A FUP e seus sindicatos manifestam solidariedade integral aos companheiros uruguaios, que, assim como os petroleiros brasileiros, denunciam os prejuízos que os consumidores e trabalhadores enfrentam quando recursos energéticos são controlados por gestores privados, sem qualquer compromisso com os interesses do povo e a soberania nacional.  

A luta dos petroleiros uruguaios em defesa da soberania energética é a mesma dos brasileiros.

[FUP]

Publicado em Sistema Petrobrás

É com pesar que a Federação Única dos Petroleiros comunica o falecimento do ex-presidente do Sindipetro-MG, Márcio Nicolau Machado, vítima de um acidente de carro na manhã desta quarta-feira (6) na BR-381, em Nova Era, na região central de Minas Gerais.

O Sindipetro informou que, além dele, a esposa e outras três pessoas que estavam no veículo também morreram no acidente.

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o veículo saiu da pista e caiu em um rio por volta de 8h15. O acidente aconteceu na altura do km 315 e ainda não há informações sobre o sepultamento das vítimas.

Marcio Nicolau participou da diretoria do Sindipetro MG entre 1982 e 2005, sendo presidente da entidade entre 1990 e 1998.

A diretoria da FUP lamenta profundamente a perda do companheiro, que esteve presente nas principais lutas da categoria petroleira.

Querido e estimado por todos, Márcio parte prematuramente e deixa como legado uma vida inteira dedicada às lutas em defesa dos direitos dos trabalhadores e das causas sociais.

O sepultamento será nesta sexta-feira, 08, às 09h, no Cemitério Renascer, em Belo Horizonte.

Manifestamos nossa solidariedade aos familiares nesse momento tão difícil. 

Márcio Nicolau, presente! Hoje e sempre!

Federação Única dos Petroleiros - FUP

Publicado em Movimentos Sociais

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram