Em negociação iniciada no dia 16 de agosto com a Transpetro, a diretoria do Sindipetro Duque de Caxias deu início à construção de um novo adicional, específico para os trabalhadores que atuam nos dutos e seus agregados extramuros

[Da imprensa do Sindipetro Duque de Caxias]

Os trabalhadores e as trabalhadoras da Transpetro das áreas de manutenção, inspeção, faixa de duto e SMS que realizam atividades ao longo do trecho, nos dutos de hidrocarbonetos líquidos ou gasosos e nas estações de bombeamento da nossa regional podem ter a seguinte certeza: QUEM LUTA, CONQUISTA!

Foi com esse espírito que os diretores do Sindipetro Caxias, Paulo Cardoso, Davi Lessa e Guilherme Hruby, se reuniram com a Transpetro para iniciar a construção de um novo adicional como alternativa para a redação do adicional de gasodutos.

Sabemos que os gasodutos foram CRIMINOSAMENTE vendidos para um fundo especulador e que não vão mais trazer desenvolvimento para o Brasil e seus cidadãos, além de passarem a ser operados pela NTS.

Nessa reunião inicial, os diretores defenderam com argumentos factuais e dados robustos a criação de um novo adicional que remunere a condição de trabalho dos técnicos que realizam atividades de manutenção de equipamentos, de faixa, de inspeção e de SMS fora dos terminais e unidades de produção.

O Sindicato reforçou que os técnicos que laboram fora dos terminais têm suas condições de higiene, de alimentação, de segurança e de vida social modificadas e até mesmo prejudicadas.

A empresa reconheceu que, nas muitas situações de emergência ou de parada operacional, os técnicos são os primeiros profissionais a chegarem ao local e iniciar a mitigação da emergência ou restabelecimento da continuidade operacional.

Esse papel de apoio à operação, além de estar à disposição da companhia para os atendimentos, requerem compromisso e abnegação do tempo das atividades particulares e, por tanto, uma compensação financeira que remunere os trabalhadores pelo seu esforço e capacitação.

A Transpetro, através da gerência de RTS, não apresentou nenhuma alternativa para o adicional, mas se colocou como ouvinte das questões apresentadas.

O sindicato irá enviar uma minuta de acordo que foi construído pelos trabalhadores da base e agendará uma nova reunião com a empresa para saber qual o caminho que iremos trilhar.

Porém, já temos a certeza que a participação e o engajamento de todos nesta jornada de luta vão pavimentar a construção de nossos direitos! Fique atento às mídias do sindicato e as notícias em nossos boletins.

Publicado em Sistema Petrobrás

Em cumprimento ao que foi acordado com a FUP nas reuniões de acompanhamento do Acordo Coletivo e de negociação da quitação da PLR 2017, a Transpetro prorrogou até 31 de agosto de 2019 o estudo em conjunto com as entidades sindicais, visando a conversão do Adicional de Gasodutos em Adicional Técnico de Dutos. Nesta sexta-feira, 19, sete sindicatos da FUP assinaram o Termo Aditivo ao ACT 2017/2019, com as devidas alterações no Inciso III, Parágrafo 6º da Cláusula 4ª.

O documento foi assinado pelos sindicatos de Duque de Caxias, Rio Grande do Sul, Bahia, Ceará/Piauí, Rio Grande do Norte, Amazonas e Minas Gerais. Os demais sindicatos assinarão o Termo na próxima semana.

Com a renovação da cláusula, a FUP e a Transpetro terão tempo suficiente para concluir o processo de negociação, cujo prazo de validade havia se esgotado em 31 de agosto, sem um acordo entre as partes. Em abril, a negociação entrou em um impasse, após a subsidiária tentar impor aos técnicos a função de dirigir os carros utilizados em serviço, além de querer excluir do adicional os técnicos de segurança do trabalho, o que não teve concordância da FUP.

O diretor da FUP e do Sindipetro Duque de Caxias, Paulo Cardoso, que assinou o Termo Aditivo com procurações dos demais sindicatos, destacou que as entidades sindicais buscarão a equidade de direitos, para que o adicional contemple todos os técnicos que atuem nas malhas de gás e óleo. “É uma importante vitória dos trabalhadores nessa conjuntura difícil. Vamos buscar na negociação garantir o adicional para todos os companheiros da malha, sem restrições”, afirmou.

[FUP] 

Publicado em Sistema Petrobrás

Em cumprimento ao que foi acordado com a FUP nas reuniões de acompanhamento do Acordo Coletivo e de negociação da quitação da PLR 2017, a Transpetro prorrogou até 31 de agosto de 2019 o estudo em conjunto com as entidades sindicais, visando a conversão do Adicional de Gasodutos em Adicional Técnico de Dutos. Nesta sexta-feira, 19, a FUP e seus sindicatos irão assinar o Termo Aditivo ao ACT 2017/2019, com as devidas alterações no Inciso III, Parágrafo 6º da Cláusula 4ª.

Com isso, as representações sindicais e a subsidiária terão tempo suficiente para concluir o processo de negociação, cujo prazo de validade havia se esgotado em 31 de agosto, sem um acordo entre as partes. Em abril, a negociação entrou em um impasse, em função da Transpetro tentar impor aos técnicos a função de dirigir os carros utilizados pela empresa, além de querer excluir do adicional os técnicos de segurança do trabalho, o que não teve concordância da FUP.

Com a renovação da cláusula, a FUP e seus sindicatos buscarão a equidade de direitos, para que o adicional contemple todos os técnicos que atuem nas malhas de gás e óleo. “É uma importante vitória dos trabalhadores nessa conjuntura difícil. Vamos buscar na negociação garantir o adicional para todos os companheiros da malha, sem restrições”, destaca o diretor da FUP, Paulo Cardoso.

[FUP]

Publicado em Sistema Petrobrás

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.