Antônio Francisco Fernandes, Antônio Pio Sales, Antônio Ricardo Pessanha Barretto, Carmélio Pimenta do Nascimento, Claudio Luis Pacheco Santos, Daniel Fortunato, Edson Rodrigues Simões, Everton Gomes da Silveira, Flávio Pereira de Souza, Gecildo Laerte Braga, Geneci da Silva, Hélio Cerqueira, Jonas dos Santos Coutinho, José Carlos Diniz, José Carlos Ferreira, José Renato Lopes Lima, Lédio de Carvalho Gonçalves, Luís Carlos Barbosa, Marcos Rogério Medeiros Queitos, Marcos Teixeira Cortes, Murilo Machado, Nelson Luiz de Oliveira Souza, Paulo Jorge de Oliveira, Paulo Roberto Barreto Lima, Richard Takahashi, Rigott Marcelino Barbosa e Rômulo Magno Ribeiro Lima, Aldemir Soares da Silva, Álvaro Cabral, Carlos Henrique Cabral, Gelson Gueiros Campinho, José Manoel de Oliveira, Roberto de Souza, Salomão Souza Godinho e Valcir Brandão Gonçalves, Gilberto Raimundo da Silva e Luís Conrado Luber.

Morreram há 35 anos, vitimas do pior acidente de trabalho da Petrobrás ocorrido na plataforma Enchova na Bacia de Campos, 37 petroleiros morreram e 19 ficaram feridos durante a queda de uma das baleeiras, que retirava os trabalhadores da unidade.

A embarcação, lotada com 50 petroleiros, teve um dos cabos enroscados na estrutura de suporte, o que provocou uma descida irregular e, em seguida, a queda no mar de uma altura de 30 metros. Os que sobreviveram ficaram permanentemente marcados pela memória do terror que viveram.

O acidente de Enchova ocorreu em 16 de agosto de 1984, provocado por um vazamento seguido de explosão. Na época, o sindicato dos engenheiros denunciou como causa dessa tragédia as péssimas condições de trabalho e a política de metas de recordes de produção impostas pelas gerências.

Publicado em Sistema Petrobrás

A usina siderúrgica da Usiminas em Ipatinga (MG) sofreu uma forte explosão nesta sexta-feira e paralisou alto-fornos, em um incidente com vítimas que também causou esvaziamento da unidade e assustou moradores da cidade.

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais confirma o número de 30 feridos, todos empregados ou prestadores de serviço. Uma das vítimas sofreu corte no rosto, decorrente de estilhaço que foi lançado com a explosão. “As outras 29 vítimas foram pessoas que tiveram tonturas ou mal súbito decorrente da situação de pânico ou inalação de gás" informou a corporação

Ainda segundo o Corpo de Bombeiros, um equipamento conhecido como gasômetro explodiu causando forte estrondo ouvido na cidade e a emissão de grossa coluna de fumaça.

O gasômetro, um equipamento de grande porte com vários metros de altura, armazena gases que são gerados no processo de produção de aço.

“Houve uma explosão no gasômetro por volta das 12h. O incidente está controlado. Já foi interrompido o fluxo de gás”, informou um representante da Usiminas. Em comunicado ao mercado, a Usiminas afirmou que como medida de precaução, decidiu paralisar, “de forma emergencial e temporária”, os altos-fornos da usina.

As ações da empresa despencavam após a notícia do incidente. Às 15h08, os papéis caíam 9,5 por cento, maior queda do Ibovespa, que exibia baixa de 3 por cento.

Segundo o comandante do 11º batalhão de bombeiros militar em Ipatinga, Major Nunes, “houve vítimas, não fatais, e foram conduzidas ao hospital pelos próprios brigadistas da usina”.

O incidente ocorreu depois que na quarta-feira um funcionário terceirizado morreu prestando serviços de manutenção em equipamento da aciaria da usina.

A usina de Ipatinga está em operação desde a década de 1960. O complexo tem três alto-fornos, dos quais o número 1 foi reativado em abril deste ano após ficar parado desde 2015 em meio à queda na demanda brasileiro por aço.

“Ipatinga é a única usina da Usiminas que produz aço bruto atualmente, com uma capacidade total de 5 milhões de toneladas (por ano). Como referência, a CSN teve um importante incidente em janeiro de 2016 que parou suas operações por vários meses. A ação da CSN caiu 10 por cento no dia do incidente foi revelado, mas o impacto para o fluxo de caixa da companhia foi minimizado pelo fato da CSN ter seguro, que cobriu as perdas de lucro”, afirmaram analistas do Itaú BBA em nota a clientes, acrescentando que acreditam que o impacto sobre a ação da empresa “é exagerado”.

[Com informações da Agência Estado e Agência Brasil]

Publicado em Trabalho

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram