Na manhã de hoje (04/12) por volta das 06:40h a Unidade de Coqueamento (U-21) da Refinaria Abreu e Lima foi acometida de um incêndio em uma torre de destilação, acarretando na parada de produção da Unidade. Apesar das proporções, felizmente esse incidente não provocou houve vítimas e já foi devidamente controlado.

O Sindipetro-PE/PB atribui à redução de efetivo da operação (onde a unidade opera com um número reduzido de operadores) e o descaso com a manutenção preventiva, causado pelo número reduzido de equipes para realizar manutenção e péssimas condições oferecidas para esses trabalhadores, como fatores determinantes para que eventos como esses ocorram. Não é de hoje que tanto o Sindipetro-PE/PB como a FUP vem denunciando este prenúncio de risco iminente de acidentes, haja visto que a sobrecarga de atividades nas equipes que laboram na refinaria é aparente.

Nesse momento o Coordenador do Sindipetro-PE/PB, Rogério Almeida, encontra-se nas instalações para avaliar as condições de trabalho e de segurança dos trabalhadores atingidos.
Esperamos que as comissões investigativas se atenham a apontar caminhos para segurança de todos e que situações como essas sejam evitadas.

[Via Sindipetro-PE/PB]

Publicado em SINDIPETRO-PE/PB
Terça, 04 Dezembro 2018 14:39

Fogo: desmonte deixa refinaria em chamas

Os trabalhadores da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, passaram por um grande susto na manhã desta terça-feira, 04, durante um incêndio que atingiu uma torre da unidade de Coqueamento Retardado (U-21). A emergência teve início por volta das 06h40 e só foi controlada às 09h, após o fogo ser debelado. Por sorte, ninguém se feriu durante o acidente, que ocorreu menos de quatro meses após a grave explosão que atingiu a Replan na madrugada de 20 de agosto.

A Petrobrás informou que a unidade atingida pelo incêndio está paralisada. A Abreu e Lima é uma das refinarias que está na mira dos gestores para ser privatizada e tem sofrido uma série de problemas em função dos desinvestimentos. “Acidentes como este são consequência de redução de efetivos e falta de manutenção, além de outros problemas graves de gestão”, revela o coordenador do Sindipetro-PE/PB, Rogério Almeida.

 

Não é de hoje que a FUP e seus sindicatos vêm alertando a Petrobrás para os riscos de um grande acidente industrial nas unidades operacionais, em função dos cortes de efetivos e do desmonte que a empresa vem passando. A situação foi agravada após a saída de cerca de 20 mil trabalhadores nos planos recentes de desligamento (PIDV), que levaram os gestores a implantarem de forma unilateral estudo de reestruturação de efetivos (Organização e Métodos -O&M), que reduziu ainda mais os quadros de trabalhadores nas áreas operacionais. 

A redução de efetivos gerou um déficit imenso de técnicos de operação, de manutenção e de segurança, comprometendo os processos de manutenção. As paradas foram reduzidas e, quando ocorrem, não há o devido acompanhamento dos técnicos da Petrobrás por falta de trabalhadores próprios. As refinarias foram as unidades mais afetadas e se transformaram em bombas-relógio.

[FUP]

Publicado em Sistema Petrobrás

Com apoio da FUP e do Sindipetro-PE/PB, o técnico Luiz Araújo foi eleito o representante dos trabalhadores no Conselho de Administração da Companhia Pernambucana de Gás (Copergás). Ele será empossado na sexta-feira, 31, com a missão de tentar impedir a privatização da empresa, que tem 51% de seu capital acionário controlada pelo governo do estado.

A Gaspetro e a multinacional Mitsui detêm o restante das ações da Copergás, cada uma com 24,5% de participação na companhia.  A empresa japonesa também tem 49% da subsidiária da Petrobrás. A venda de ativos foi concluída em 2016, após uma série de denúncias da FUP e contestação na Justiça.

Eleito com mais votos do que a soma dos outros quatro candidatos que disputaram a vaga do CA, Luis Araújo pautou sua campanha pela defesa incondicional da Copergás como empresa pública, a serviço do estado e do povo pernambucano. Ele conquistou 53% dos votos dos 116 trabalhadores que participaram da eleição.

A companhia está na lista de privatização desde que o governo assinou em julho do ano passado um acordo de cooperação com o BNDES para definição do melhor modelo de desestatização da empresa.

Desde então, os trabalhadores e movimentos sindicais e sociais de Pernambuco vêm se mobilizando contra a privatização da Copergás, em uma luta conjunta contra a entrega dos ativos da Petrobrás no estado que foram colocados à venda, como é o caso da Refinaria Abreu e Lima e do Terminal de Suape.

"O resultado desta eleição foi um reflexo do envolvimento e da conscientização de toda a categoria em relação a importância de ter um representante dos empregados dentro do conselho, dando voz ativa aos anseios dos trabalhadores, assim como defender a Companhia da tentativa de privatização", afirma o conselheiro eleito.

"Toda a categoria está convicta do momento sombrio que o país vive, com o ataque direto à soberania nacional, com a crescente tentativa de privatizações das empresas públicas e do ataque aos direitos trabalhistas conquistados", ressaltou Luis Araújo, destacando a importância da FUP na resistência contra o golpe.  "A FUP tem tido papel fundamental na coordenação da união em defesa do sistema Petrobrás como uma das mais ativas e influentes frentes de resistência à tentativa de entrega das riquezas nacionais ao capital estrangeiro", declarou. 

Assim como os petroleiros, os trabalhadores da Copergás são representados pelo Sindipetro-PE/PB e têm sido bastante atuantes na luta em defesa da soberania energética. “Termos no CA da Copergás um trabalhador comprometido com as nossas lutas, que vai ter a oportunidade de discutir com a alta hierarquia da companhia os projetos e ações de gestão da empresa, é uma vitória importantíssima, principalmente nesse momento em que lutamos contra a privatização”, afirma o coordenador da FUP, Simão Zanardi.

A Copergás abastece mais de 30 mil consumidores residenciais no estado de Pernambuco e também atende a cerca de 500 empresas comerciais e industriais no estado. Em 2017, a companhia registrou lucro líquido de R$ 88,2 milhões, 22,3% superior ao ano anterior.

[FUP]

Publicado em Trabalho

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram