A Central de Movimentos Populares (CMP) e a Federação Única dos Petroleiros (FUP) realizaram, na tarde desta quinta-feira (29), uma ação solidaria conjunta, com a venda de botijão de gás de cozinha por menos da metade do preço, cerca de 40 reais, para famílias moradoras em bairros periféricos de 11 cidades do país. Aproximadamente mil famílias em situação de vulnerabilidade social foram beneficiadas com a ação. "Essa ação da FUP e seus sindicatos junto com a CMP, hoje, foi maravilhosa. Fiquei emocionado com o depoimento de algumas companheiras", relata Deyvid Bacelar, coordenador da FUP.

A ação incluiu também a distribuição de cestas de alimentos, verduras, legumes e máscaras de proteção. Com o mote: Gás a preço justo, comida no prato e vacina no braço, durante a ação, a CMP e a FUP defenderam vacina já para toda a população e auxílio emergencial de 600 até o fim da pandemia. As entidades também denunciaram o desmonte das políticas públicas, às privatizações e o negacionismo diante da pandemia de covid-19.

“Nossa ação solidária de hoje teve o objetivo de ajudar famílias que estão passando por dificuldades, desempregada e sem renda para se alimentar, mas também de denunciar e exigir que Bolsonaro seja processado, afastado da Presidência da República e condenado pelas 400 mil mortes, pelo atraso na vacinação e pela covardia em reduzir o auxílio emergencial, justamente quando nosso país apresenta um cenário de desemprego e fome. Já são 19 milhões de pessoas passando fome”, denuncia Raimundo Bonfim, coordenador nacional da CMP.

Com um valor do botijão de gás que chega a 120 reais em várias regiões do país, o que corresponde a 12% do salário-mínimo, a alta do produto provoca a elevação de preços em outros setores da economia, como os de alimentos e transportes. Ao promover a ação de solidariedade de hoje, CMP e FUP alertaram a para a privatização da Petrobras e de sua política de seguir o preço de importação.

WhatsApp-Image-2021-04-29-at-164904
WhatsApp-Image-2021-04-29-at-164916
WhatsApp-Image-2021-04-29-at-164904-1
WhatsApp-Image-2021-04-29-at-164851-1
WhatsApp-Image-2021-04-29-at-164851
WhatsApp-Image-2021-04-29-at-164815
WhatsApp-Image-2021-04-29-at-164815-1
WhatsApp-Image-2021-04-29-at-123202
WhatsApp-Image-2021-04-29-at-164754
WhatsApp-Image-2021-04-29-at-140335-2

Publicado em Movimentos Sociais

Nova ação da campanha “Combustíveis a Preço Justo” ocorre em 11 municípios de São Paulo, Amazonas, Ceará, Bahia, Pará, Rio de Janeiro, Tocantins, Rondônia, Minas Gerais e Pernambuco e no Distrito Federal. Ainda pede urgência na vacinação contra a Covid-19 e aumento do auxílio emergencial

Rio de Janeiro, 28 de abril de 2021 – A Federação Única dos Petroleiros (FUP) e seus sindicatos vão realizar mais uma ação da campanha “Combustíveis a Preço Justo”, desta vez em parceria com a Central de Movimentos Populares (CMP) e outras organizações locais. As mobilizações vão ocorrer nesta quinta-feira (29/4), em 11 cidades do país (ver serviço abaixo), e vão ofertar botijões de gás de cozinha por menos da metade do valor médio que vem sendo cobrado por revendedores em todo o país. Além dos botijões, as ações – que terão início às 11h no Rio de Janeiro e às 14h nos outros municípios – vão também distribuir cestas básicas e máscaras de proteção contra a Covid-19.

O principal objetivo da campanha “Combustíveis a Preço Justo” é alertar a população sobre como a política adotada pela Petrobrás em outubro de 2016 baseada no Preço de Paridade de Importação (PPI) vem afetando não apenas os preços dos combustíveis, mas também causando um efeito cascata de elevação de preços em outros setores da economia, como os de alimentos e transportes.

A mobilização desta quinta também irá pedir urgência na vacinação contra a Covid-19 de toda a população brasileira. E diante da tragédia social causada pela pandemia e pela incompetência do governo de Jair Bolsonaro, com mais de 19 milhões de pessoas passando fome no país, o movimento também reivindica o aumento do auxílio emergencial, tanto em seu valor, para R$ 600 – o atual auxílio oferece entre R$ 150 e R$ 375 –, como em sua abrangência, para mais brasileiras e brasileiros.

A inflação de março, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), de 0,93%, foi quase totalmente influenciado pelos aumentos dos combustíveis. É mais uma prova contundente da inviabilidade da política de Preço de Paridade de Importação usada pela atual diretoria da Petrobrás para reajustar seus preços. Balizada pelas cotações do petróleo no mercado internacional e do dólar, essa política prejudica toda a sociedade brasileira, pois a alta dos preços dos derivados recai sobre toda a cadeia produtiva e sobre o bolso dos consumidores. Essa política também vem causando fome no Brasil”, explica o coordenador geral da FUP, Deyvid Bacelar.

Somente nos quatro primeiros meses deste ano, o botijão de gás subiu 22,7% nas refinarias da Petrobrás. Nos últimos 12 meses, o produto teve alta recorde de 18,2% para o consumidor, sendo 10,5% somente no primeiro trimestre deste ano e 4,6% em março. O reflexo da alta do gás de cozinha abalou o setor de alimentação e bebidas, que encareceu em 14,5% no último ano e 2,2% apenas nos três primeiros meses de 2021.

Bolsonaro é um genocida, tendo em vista que sabota medidas de combate à Covid-19, sendo responsável pela morte de quase 400 mil pessoas. Além disso, sua política econômica é responsável por milhões de desempregados, e a redução do auxílio emergencial joga o povo na pobreza. Já são 19 milhões passando fome", reforça Raimundo Bonfim, coordenador nacional da CMP.

SERVIÇO

GÁS A PREÇO JUSTO, COMIDA NO PRATO E VACINA NO BRAÇO

Dia: Quinta-feira, 29 de abril de 2021

Horário: A partir das 11h no Rio de Janeiro e 14h nas outras cidades

LOCAIS

 

São Paulo, às 14h – SP (FUP e CMP)

Sede de Centro de Promoção Resgate à Cidadania (CEPROCIG), Rua Torquato Tapajós, 166 – Grajaú

Cestas básicas, kits de higiene, máscaras de proteção e 50 botijões de gás, por 40 reais cada

Brasília, às 14h – DF (FUP, CMP e Infraero)

Sede da Associação de Moradia do Distrito Federal e entorno (Amora), QN 12C, conjunto 8, casa 14 – Riacho fundo ll

50 cestas básicas e 50 botijões de gás, por 40 reais cada

Manaus, às 09h – AM (FUP e CMP)

Centro de Referência de Combate à Violência contra a Mulher (Cramer), Rua Franco se Sá, n° 70 – São Francisco

50 botijões de gás, por 40 reais cada

Fortaleza, às 14h – CE (FUP e CMP)

Associação dos Moradores do Jardim Jatobá (AMJJ), Rua Boa Vista, 2007 – Jatobá

60 botijões de gás, por 40 reais cada

Salvador, às 14h – BA (FUP e CMP)

Ocupação Vila da Paz, Rua Nossa Senhora da Paz – Bairro da Paz

50 cestas de verduras e 50 botijões de gás, por 40 reais cada

Belém, às 14h – PA (FUP, CMP, MPA e Ação da Cidadania)

Depósito de gás “Pedreira Gás”, Travessa Angustura, esquina com Avenida Antônio

Frutas, verduras, 200 máscaras de proteção, 100 kits de higiene bucal e 50 botijões de gás, por 43 reais cada

Rio de Janeiro, às 11h – RJ (FUP, CMP, Mais Amor Menos Capital, Galpão Gamboa, Quilombo da Gamboa e Unegro Caxias)

Binário do Porto, em frente à Grande Rio, Rua Gamboa, 357 – Gamboa

200 cestas básicas, 200 máscaras de proteção, 200 álcool em gel e 180 botijões de gás, por 40 reais cada

Palmas, às 14h – TO (FUP e CMP)

Comunidade Capadócia, Quadra 612 Sul, Alameda 3 QI 02 A lote 7 – Taquari

50 cestas básicas, 50 álcool em gel e 50 botijões de gás, por 29 reais cada

Porto Velho, às 14h – RO (FUP, CMP e MM Mercados)

Ocupação de Moradores Maravilha, Rua 5, casa 70, BR 319

200 máscaras de proteção, 200 espátulas de cozinha e 50 botijões de gás, por 50 reais cada

Ipatinga, às 14h – MG (FUP e CMP)

Projeto Habitacional, Rua Jequitinhonha 130 – Parque das Águas

50 botijões de gás, por 44 reais cada

Jaboatão dos Guararapes, às 14h – PE (FUP, CMP, MST e Habitat)

Centro Comunitário Germinar, Rua Andaraí, 101 – Jardim Piedade

100 cestas agroecológicas, máscaras, kits de higiene e 75 botijões de gás, por 40 reais cada

 

Publicado em Política

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.