Adiada caminhada em Salvador pela manutenção dos campos terrestres da Petrobrás

Quarta, 07 Abril 2010 21:00
O Sindicato dos Químicos/Petroleiros (BA) realiza sexta-feira (09), às 16h, uma grande caminhada ...

Sindicato dos Químicos e Petroleiros da Bahia

Em consequência das fortes chuvas que caem na Bahia, o Sindicato dos Químicos e Petroleiros adiou a caminhada que seria realizada nesta sexta-feira (09), às 16h, do Campo Grande em direção à Praça Municipal, em Salvador, contra a entrega dos campos terrestres de produção de petróleo. A mobilização será realizada na próxima sexta-feira, 23.  O objetivo é denunciar as tentativas de esvaziamento e entrega dos campos terrestres de produção de petróleo operados pela Petrobrás na Bahia. Para participar da passeata estão sendo esperados representantes de diversos sindicatos, movimentos sociais,  instituições religiosas,  associações e estudantes. Além das autoridades e comunidades dos 28 municípios baianos que serão prejudicados com a retirada da Petrobrás dos campos terrestres. 

A caminhada faz parte da campanha “Em defesa da Bahia”, lançada pelo Sindicato dos Químicos/Petroleiros (BA) com o objetivo de impedir a votação das alterações dos projetos de lei do governo federal para o pré-sal, especificamente no que se refere ao sistema de partilha de produção e a capitalização da Petrobrás. A mudança no relatório do projeto de capitalização da Petrobrás permite à empresa devolver à União, como forma de ressarcimento, até 100 milhões de barris de óleo dos campos terrestres. Já a alteração no relatório do projeto de partilha prevê que o governo federal incremente a participação de empresas de pequeno e médio porte na exploração, desenvolvimento e produção de petróleo e gás.

Para o movimento sindical, o fato dos relatórios terem sido alterados na votação do Plenário da Câmara mostra o interesse de empresários e parlamentares opositores ao governo de entregar às empresas privadas campos terrestres de petróleo, provocando prejuízo econômico de 28 municípios baianos. Se os projetos são aprovados no Senado, nos próximos anos, a Bahia perderá R$ 2,1 bilhões em investimentos diretos da Petrobrás. Somente nos anos de 2010 e 2011, a perda será de R$ 513 milhões. De imediato serão eliminados 6.500 postos de trabalhos diretos e indiretos.

O Sindicato está buscando o apoio dos prefeitos dos municípios que poderão ser atingidos e de senadores da bancada baiana. Na manhã do dia 06, os dirigentes sindicais estiveram no aeroporto Luis Eduardo Magalhães para entregar um documento, solicitando apoio aos senadores e deputados federais que embarcaram para Brasília. Na quarta-feira (07), realizou ato de protesto na porta do Conjunto Pituba, da Petrobrás, no Itaigara.

Leia também:

Petroleiros da Bahia realizam ato contra entrega dos campos terrestres de produção

FUP e sindicatos na luta contra entrega dos campos terrestres de produção de petróleo

FUP cobra que presidente Lula não permita entrega dos campos terrestres

Publicado em Últimas Notícias

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.