Inimigos da Nação: tucanos e demos tentam, novamente, parar a Petrobrás

Quinta, 11 Fevereiro 2010 22:00
A disputa eleitoral está por trás da campanha ostensiva do TCU para desmoralizar a Petrobrás...

Imprensa da FUP

Após terem fracassado na tentativa de criminalizar a Petrobrás na CPI privatista armada no ano passado, os demos tucanos querem novamente parar a maior empresa do país. Assim como fizeram na CPI, se ancoram de novo na mídia conservadora para desmoralizar a Petrobrás com uma campanha acintosa que busca interromper obras fundamentais para o desenvolvimento do país.

O presidente Lula, acertadamente, intercedeu e liberou no Orçamento Geral da União para 2010 investimentos importantes da Petrobrás que o Tribunal de Contas da União (TCU) havia embargado, alegando suspeitas de irregularidades nos contratos. A FUP considera fundamental a fiscalização de recursos públicos. No entanto, o que tem ocorrido é uma campanha ostensiva do TCU para desmoralizar a Petrobrás, colocando sob suspeita várias obras da empresa, com base em interpretações de suposições, que foram transformadas em denúncias de irregularidades jamais comprovadas.

Não é segredo para ninguém que o TCU é um poderoso instrumento da oposição, lotado de ministros indicados pelo PSDB e DEM. A relação do Tribunal com a Petrobrás está mais para inquisição do que para fiscalização. Afinal, a estatal é a locomotiva do desenvolvimento econômico e social do país. Parar a Petrobrás é parar o Brasil. É tudo o que a oposição quer.

A FUP enviou no dia 21 de janeiro documento à Presidência da República, cobrando a continuidade das principais obras da Petrobrás que estão em andamento em vários estados, como a implantação do complexo Petroquímico de Itaboraí (RJ), a Refinaria de Abreu e Lima (PE), a expansão da Repar (PR) e a implantação do terminal de Barra do Riacho (ES). Essas obras, além de estarem diretamente ligadas ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), gerando cerca de 30 mil postos de trabalho, são estratégicas para o desenvolvimento do país.

“Tais obras são imprescindíveis para possibilitar a infra estrutura necessária ao setor de energia para que o Brasil continue a crescer”, ressaltou a FUP no documento enviado ao presidente Lula. É inadmissível que a oposição ponha em risco o desenvolvimento de um setor tão estratégico, para tirar proveito eleitoral. Ações levianas como essas comprovam a total falta de patriotismo e compromisso dos tucanos e demos com o povo brasileiro e a Nação.  

Publicado em Últimas Notícias

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.