FUP consolida igualdade de direitos para trabalhadores da TBG

Quinta, 07 Maio 2009 21:00
Apesar do capital privado responder por mais de 40% das ações da Transportadora...

 

Imprensa da FUP

 

Apesar do capital privado responder por mais de 40% das ações da Transportadora Brasileira Gasoduto Bolívia-Brasil (TBG), a FUP e os sindicatos estão garantindo a extensão para os trabalhadores da empresa dos mesmos direitos e conquistas pactuados com a Petrobrás. No último dia 05, eles receberam na íntegra os mesmos valores de PLR praticados pela estatal. Essa foi, sem dúvida, uma das principais conquistas da greve de março, que assegurou a extensão do acordo de PLR também para a Refap e a Petroquisa, empresas que, como a TBG, fecharam o ano de 2008 com prejuízos.

 

Até outubro do ano passado, os trabalhadores da TBG não tinham sequer um acordo coletivo. Através da organização sindical, conquistaram a extensão dos acordos das PLRs 2007 e 2008 e das cláusulas econômicas garantidas na campanha salarial passada. Nos próximos dias, os trabalhadores da Transportadora irão avaliar em assembléias a proposta de extensão das cláusulas sociais garantidas nos acordos pactuados com as empresas do Sistema Petrobrás. São cláusulas referentes a condições de trabalho, SMS, regimes, jornadas, benefícios, etc. Como as cláusulas referentes à Petros e à AMS precisam de adequação, serão tratadas em grupos de trabalho específicos.

 

As conquistas dos trabalhadores da TBG consolidam a luta da FUP pela igualdade de direitos para todos os petroleiros. Conquistas que só são possíveis devido à organização sindical da categoria, que tem por princípio a unidade nacional. É fundamental que os trabalhadores da TBG somem-se aos demais petroleiros, sindicalizando-se e fortalecendo a FUP para garantir novas conquistas e ampliar a luta em defesa da unidade da categoria.

Publicado em Últimas Notícias

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.