Petroleiros estão rejeitando proposta de PLR

Sexta, 20 Março 2009 21:00
Além de não responder às reivindicações da FUP referentes à segurança, garantia dos postos de trabalho...

Imprensa da FUP

Além de não responder às reivindicações da FUP referentes à segurança, garantia dos postos de trabalho nas empresas contratadas e ao extraturno, a proposta apresentada pela Petrobrás no último dia 16 cria o que se pode chamar de PLR Hood Robin. Comparando com a proposta do ano passado (referente à PLR 2007), o que a empresa propõe este ano é tirar de quem recebe menos para garantir os ganhos de quem recebe mais. A categoria está deixando claro que não aceita esta manobra Robin Hood às avessas. Os petroleiros da Bahia, Pernambuco, Paraíba, Amazonas, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraná, Santa Catarina e Minas Gerais já rejeitaram a proposta. O mesmo está acontecendo  na Bacia de Campos e demais bases que estão realizando assembléias. A divisão imposta pela Petrobrás incendiou ainda mais os trabalhadores para a greve, que começa nesta segunda-feira, 23, em todas as bases do país.

 

Bacia de Campos

Os trabalhadores da Bacia de Campos estão rejeitando por ampla maioria a proposta de PLR da Petrbrás. Das 24 plataformas que realizaram assembléias até a tarde deste sábado (21), 23 foram contra a proposta da empresa.

Minas Gerais

Os trabalhadores da REGAP concluiram as assembléias nesta sexta-feira (20) e rejeitaram a proposta de PLR apresentada pela Petrobrás, com 219 votos. Somente 4 trabalhadores votaram à favor.

Paraná e Santa Catarina

Os trabalhadores das bases do Paraná e Santa Catarina aprovaram a greve nas assembléias que se encerraram sexta (20) à noite e rejeitaram a proposta de PLR.

Pernambuco e Paraíba

Os trabalhadores das bases de Pernambuco e Paraíba rejeitaram por unanimidade a proposta divisionista de PLR.

Greve unificada

 

A direção da FUP recebeu nesta quinta-feira, 19, na sede da Federação, os dirigentes dos Sindipetros Rio de Janeiro, São José dos Campos, Rio Grande do Sul, Litoral Paulista e Sergipe/Alagoas para discutir um calendário único de greve. A proposta dos dirigentes destes sindicatos era de greve a partir do dia 30/03. A FUP argumentou que o dia 23 já foi aprovado pelos trabalhadores e endossado por todos os seus sindicatos filiados na reunião do Conselho Deliberativo, ocorrida quarta-feira, 18. Diante da impossibilidade de mudança no calendário aprovado nas bases da Federação, os Sindipetros RJ, SJC, RS, LP e SE/AL concordaram em construir a unificação da greve a partir do dia 23. A expectativa da FUP é que os petroleiros destas regiões se somem aos trabalhadores das demais bases do país, numa greve unificada e forte, aumentando ainda mais a pressão sobre a Petrobrás. Este, portanto, é um avanço político extremamente importante para a categoria, num momento em que a empresa propõe claramente dividir os trabalhadores através da proposta de PLR.

 

Publicado em Últimas Notícias

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.