Petroleiros denunciaram venda lesiva da Reman em atos realizados nesta sexta

Sexta, 03 Setembro 2021 16:34

A manhã desta sexta-feira, 03, foi marcada por atos e protestos em várias bases da FUP contra a privatização da Refinaria Isaac Sabbá (Reman), no Amazonas. Um grande ato nacional em frente à refinaria, em Manaus, contou com a participação de dirigentes da FUP e dos sindicatos filiados, que denunciaram os prejuízos decorrentes das privatizações no Sistema Petrobrás, cujas subsidiárias, refinarias, campos de petróleo, plataformas, terminais, usinas termelétricas e de biodíesel, entre outros ativos, estão sendo entregues a preço de banana às empresas estrangeiras e concorrentes da estatal.

A venda Reman, anunciada no último dia 25 pela Petrobrás, após aprovação do Conselho de Administração da empresa, assim como a venda Refinaria Landulpho Alves (Rlam), foi feita com preços muito abaixo do valor de mercado da refinaria. Estudo do Instituto de Estudos Estratégicos de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (Ineep) aponta que a Refinaria de Manaus foi vendida pela Petrobrás à Atem Distribuidora, principal concorrente da estatal na região, por 70% do seu valor. Segundo o Ineep, a Reman "está avaliada com um valor mínimo, pelo câmbio mais elevado deste ano, de US$ 279 milhões, quando o valor negociado pela estatal com o potencial comprador foi de US$ 189 milhões".

Como a FUP vem alertando, com base em estudos e apreceres de diversas entidades e órgãos de fiscalização, as privatizações em curso de refinarias, além de causar prejuízos financeiros para a Petrobrás e impactar economicante os estados e municípios que estão sendo abandonados pela estatal, criarão monopólios regionais privados, que irão comprometer o abastecimento e aumentar ainda mais os preços já abusivos dos combustíveis. 

Ato na Reman

O ato ralizado em frente à Refinaria de Manaus teve a presença de movimentos sindicais e sociais, parlamentares do Amazonas, dos diretores e do coordenador geral da FUP, Deyvid Bacelar, e também de dirigentes e coordenadores dos sindipetros de Minas Gerais, Norte Fluminense e Unificado de São Paulo e do Sindiquímica Paraná.

O coordenador do Sindipetro-AM, Marcus Ribeiro destaca que a venda não foi finalizada e os atos continuam sendo necessários. “Nós realizamos nosso ato em defesa da Reman e da Petrobrás no Amazonas. Nossa refinaria ainda não foi vendida - o que aconteceu foi um pré-contrato, temos até o próximo ano para lutar. Então, nosso sindicato está atuando para evitar que a venda seja, de fato, realizada”.

O coordenador da FUP, Deyvid Bacelar, destacou que a Petrobrás é da população brasileira e exerce função social, desde sua criação a partir da campanha “O Petróleo é Nosso” e demais lutas da categoria ao decorrer dos anos.“A Petrobrás não é apenas da categoria petroleira, a Petrobras é da sociedade brasileira e vem sendo defendida desde a criação dessa grande empresa pública”.

Bacelar também destacou as lutas da categoria ao decorrer dos anos contra o desmonte do Sistema Petrobrás. “Fizemos greve para discutir a Petrobrás como queremos e desejamos: a Petrobrás como empresa pública, indutora da economia nacional, do desenvolvimento social e regional. Fizemos greve em momentos distintos mobilizando a categoria contra o desmonte. Não podemos baixar as cabeças e acreditar no que a gestão entreguista da Petrobrás diz”.

Atos regionais

Os impactos das privatizações foram novamente denunciados nos atos desta sexta, nas mobilizações realizadas na Repar e na SIX, no Paraná, na Recap, em Mauá (SP) e na Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, que teve a venda suspensa pela Petrobrás, após mobilizações e ações judiciais impetradas pela FUP e sindicatos. 

Na SIX, o Sindipetro PR e SC realizou um trancaço de duas horas  e distribuiu um panfleto denunciando as negociações suspeitas que envolvem o processo de privatização da unidade (leia aqui).

VEJA FOTOS ABAIXO:

geral
geralzona-abre
fbffef0f-7020-4d7f-afe3-ddc5bbd119b7
f2292862-efa9-4643-8115-52749421c7e0
ead531ed-33f3-4504-bd73-857e57bd9a8a
d7d8a0fa-991e-458f-b5f7-31e2e38c4f4d
b16155c4-1e20-452b-8297-822c234a62a3
ato-reman-ed
6705e9e4-a12e-4be4-bf10-bb094cdc2c23
971c103d-9226-4bcb-9755-c11a8bb9fd8c
1786c4d7-3036-40b6-b845-edeb1c696e3a
660ec463-d452-4cad-8214-9459072ed186
504b9008-7c4a-417b-86a7-89a25c780382
242e3eb8-b230-4420-9194-80d2f66622c8
65a2116a-7db3-45ab-8519-db6e1b602659
30d5033c-5258-44fa-8904-b6de5961a20c
7b583ac3-517b-4655-9359-a922ff674cf9
5ec45150-20ee-4aeb-b37f-995c2e5cc7f1
4acc3db4-a633-4fb1-81f0-2598728501cf
f7b2c880-5729-4d16-bc1f-14d778721d04
geral-PE
ed28eafb-f558-45c5-9803-a14d9cbbd120
e725986e-8673-48b8-928c-2edd5bcbc4ed
a557d705-8ffb-4862-bc9a-41c74a5bef7c
36404d2e-c308-4fce-aaa4-2f08341f154f
54a238a2-2c6f-4740-b5e4-c62d9a295ded
9e33e9e3-af32-4491-b932-a6b8d4222566
33c7036d-af71-49b9-9723-074deb14be40
six
1268978d-91be-4014-a0f1-27c0a033caad
21207b7a-d04b-46b8-a413-73cc54205cfd
d961dc48-9f01-45a1-a88e-349518ac2f6f
7110c28d-110c-4de7-a6c0-8edf5c72a51c
3fe92c7b-cd5c-4fab-ba23-9473e7b40044


Leia também:

Categoria petroleira alerta para os impactos da venda da Reman

Trancaço na SIX denuncia maracutaias nos processos de privatização das refinarias

Na Recap, petroleiros realizam terceiro ato unificado contra privatizações e terceirizações

Petroleiros da Repar protestam contra privatizações na Petrobrás

Sindipetro NF participa de ato em Manaus contra privatização da Reman

Sindipetro PE e PB protesta contra venda da Reman


[Da imprensa da FUP e da imprensa do Sindipetro AM]

Última modificação em Sexta, 03 Setembro 2021 19:11
Publicado em Sistema Petrobrás

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.