Covid-19: Prefeitura de Campos atende solicitação do Sindipetro-NF e estuda calendário de imunização para petroleiros embarcados

Sexta, 16 Julho 2021 16:31

A Prefeitura de Campos dos Goytacazes atendeu a solicitação do Sindipetro-NF para que garanta o acesso dos petroleiros embarcados a uma repescagem na vacinação contra a Covid-19. O anúncio foi feito ontem pelo subsecretário de Atenção Básica, Vigilância e Proteção à Saúde, Charbell Kury, em entrevista ao telejornal RJTV 1ª edição, da Inter TV.

“Em relação ao pedido do sindicato dos petroleiros, são pessoas que embarcam, que não conseguem vacinar no dia [previsto para a sua idade], a gente recebeu esse pleito, nós somos sensíveis como gestores e a gente vai estudar na semana que vem colocar em pontos específicos para repescagem, diferente de outros pontos para vacinação por idade”, disse o subsecretário.

Para evitar os transtornos causados pelas pessoas que tentam escolher qual vacina tomar, situação que ficou conhecida como dos “sommelier de vacina”, a Prefeitura de Campos fixou datas para repescagem e criou um termo de responsabilidade para quem se negasse a tomar a vacina disponível no posto na data prevista para a sua idade.

O Sindipetro-NF, no entanto, enviou ofício na quarta, 14 (aqui), para lembrar aos gestores do município sobre o caso específico dos petroleiros e das petroleiras que embarcam, que não têm como estar em terra para tomar a vacina na data correta.

O sindicato parabeniza a Prefeitura de Campos pelo atendimento ao pleito. A entidade tem se colocado à disposição dos municípios, de órgãos de saúde e da própria Petrobrás para contribuir nos esforços de prevenção à Covid-19, visando ao máximo de proteção da categoria petroleira e das comunidades que interagem com a indústria do petróleo.

Leia também:

Sindipetro-NF envia ofício ao município de Campos com demandas sobre vacinação contra Covid-19 para os petroleiros

[Da imprensa do Sindipetro NF]

Última modificação em Sexta, 16 Julho 2021 17:26

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.