Greve aprovada em Minas faz Petrobrás negociar pauta dos trabalhadores

Segunda, 01 Março 2021 15:57

Petroleiros de Minas Gerais aprovaram greve por tempo indeterminado, buscando atendimento de pauta aprovada pela categoria

[Da imprensa do Sindipetro-MG]

A mobilização dos petroleiros e petroleiras em Minas Gerais garantiu que a empresa respondesse às demandas colocadas pela categoria com avanço em alguns dos pontos de reivindicação. Após o comunicado de greve enviado pelo sindicato, a gestão local da Regap e da Termelétrica de Ibirité responderam abrindo para a negociação das pautas que foram aprovadas nas assembleias.

Por isso a diretoria do Sindipetro/MG decidiu pela suspensão temporária do movimento grevista. É em demonstração de boa-fé negocial que o Sindipetro/MG suspendeu o movimento, em especial para tratar diretamente com as gerências os pontos que ainda não foram atendidos.

“O Sindicato seguirá em diálogo com a categoria sobre os próximos passos da negociação e, em caso de novo impasse, informaremos uma nova data para a greve. O avanço em algumas das pautas representa uma importante vitória da mobilização da categoria, mas precisamos seguir mobilizados!”, Alexandre Finamori, coordenador-geral Sindipetro/MG

A pauta da greve foi aprovada em assembleias realizadas entre os dias 21 e 25 fevereiro. Confira as reivindicações:

1-     Recomposição de efetivo;

2 – Retorno ao número mínimo anterior ao O&M;

3 – Manutenção das atividades executadas por trabalhadores próprios – Fim da terceirização das atribuições e tarefas inerentes aos cargos do quadro de trabalhadores próprios da Petrobrás;

4 – Minuta da tabela de turno;

5 – Não alteração de THM durante parada de manutenção;

6 – Realização de periódico durante a jornada de trabalho;

7- Anulação das punições aplicadas à trabalhadores em razão a participação da greve de fevereiro de 2020;

8 – Regulamentação do teletrabalho;

9 – Reembolso das horas indevidamente descontadas em janeiro 2021 em descumprimento do acordo realizado no TST decorrente da greve de fevereiro de 2020;

10 – Falta de medidas adequadas de prevenção ao novo coronavírus em razão da aglomeração excessiva de trabalhadores próprios/terceirizados agravados pelas paradas de manutenção;

11 – Interrupção e estorno das cobranças abusivas realizadas na AMS.


Leia carta na qual a empresa responde os pontos de pauta apresentados pelo sindicato:

Carta_RH_RS_NS_0071_2021_Complementação_à_carta_REGAP_01_2021

Leia o ofício comunicando a suspensão da greve:

Oficio 014.2021- Suspensão de greve


 

Publicado em Sistema Petrobrás

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.