Ex-conselheiros da Petrobrás são absolvidos de forma unânime pela CVM

Quarta, 03 Fevereiro 2021 14:27

Oito ex-conselheiros da Petrobrás foram absolvidos, de forma unânime, pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta terça-feira, 02. Todos estavam envolvidos em um processo administrativo sancionador que discutiu a condução da política de preços da estatal no governo Dilma Rousseff. O grupo foi acusado de induzir investidores a erro, ao anunciar certas metas de endividamento, mas adotar uma política de preços de combustíveis que tornava seu cumprimento improvável. 

O desfecho do caso foi adiado por pouco mais de dois anos. O colegiado só concluiu nesta terça,  o julgamento iniciado em 13 de dezembro de 2018, mas suspenso após um pedido de vista do então diretor da CVM, Henrique Machado. 

De acordo com o advogado, Carlos Eduardo Pimenta, do escritório Normando Rodrigues, o voto que determinou a decisão baseado na tese apresentado pelo escritório que cuidava da defesa do ex-coordenador da FUP, José Maria Ferreira Rangel, então representante dos empregados no conselho da petroleira. 

“A política de preços que a Petrobrás adotou tinha como objetivo atingir os limites financeiros do plano de negócios e não repassar para o consumidor a volatilidade dos preços. Então, esse quadro abre espaço para atuação dos conselheiros. Porque se a própria Petrobrás reconheceu que ela tinha metas financeiras, mas ela não queria repassar isso para o consumidor, ela abre uma contradição na própria conduta e abre espaço para que os conselheiros optarem em atingir os limites ou não repassar a  volatilidade para os consumidores. E a escolha foi por uma regularização mais favorável ao consumidor, observando também a função social da Petrobrás”, explicou o advogado. 

Foram absolvidos pelo colegiado os ex-ministros Guido Mantega (Fazenda), Miriam Belchior (Planejamento) e Marcio Zimmermann (Minas e Energia), além de Sérgio Franklin Quintella, o empresário Jorge Gerdau, o ex-presidente do BNDES, Luciano Coutinho, Francisco de Albuquerque e José Maria Ferreira Rangel, então representante dos empregados no conselho da petroleira.

[Da imprensa do Sindipetro-NF]

Publicado em Sistema Petrobrás

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.