CUT e movimentos sociais protocolam na Câmara pedido de impeachment de Bolsonaro

Terça, 14 Julho 2020 08:58

[Com informações da CUT e da Rede Brasil Atual]

O presidente da CUT, Sérgio Nobre, estará na Câmara dos Deputados, na manhã desta terça-feira (14), em Brasília, para protocolar novo pedido de impeachment de Jair Bolsonaro. Antes, às 10h, haverá ato simbólico diante do Congresso Nacional.

Além da central sindical, o documento que pede a saída do presidente da República é assinado por mais de 40 entidades, entre as quais a União Nacional dos Estudantes (UNE) e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Na manifestação, “serão cumpridos todos os protocolos sanitários” para evitar contágio da covid-19, informam os organizadores.

O pedido de impeachment faz parte da Campanha Fora Bolsonaro, que teve início na última sexta-feira (10), com atos e panelaços em todo o país. O documento lista os diversos crimes de responsabilidade cometidos desde o início da gestão Bolsonaro. Esses crimes, dizem as lideranças no texto, têm ocasionado graves violações aos direitos humanos e ameaçam as vidas de milhões de brasileiros.

Apesar de urgente, o pedido de impeachment só começará a tramitar no Congresso Nacional quando conquistar a maioria do povo brasileiro, diz Sérgio Nobre. “E esse é o nosso papel. Nós vamos mobilizar o povo, trabalhar junto ás bases, fazer disso nossa principal bandeira e fazer a classe trabalhadora e a população em geral entender porque Bolsonaro tem de ser afastado do cargo”.

A jurista Deborah Duprat participará da entrega do pedido à Câmara. Ex-subprocuradora-geral da República, ela se aposentou em maio. Nos últimos quatro anos, esteve à frente da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC).

Os pedidos de impeachment se acumulam na mesa – ou no computador – do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). São pelo menos 45. A Agência Pública elaborou um site específico.

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram