Covid-19: Na Repar, petroleiros sintomáticos voltam ao trabalho mesmo com resultados inconclusivos

Sexta, 22 Maio 2020 14:19

Gestão da Repar convoca trabalhadores em quarentena para voltar ao trabalho. Para o Sindipetro PR e SC uma atitude que traz risco a saúde da categoria, já que a situação em tempos de pandemia é grave e a refinaria pode ser epicentro de contaminação por Covid-19 na região da grande Curitiba.   

Segundo o Sindicato não há explicação para esse descaso com os petroleiros e suas famílias diante da pandemia da Covid-19. A entidade questiona as razões para não se realizar uma testagem em massa na Repar, além disso, se um resultado deu positivo e o outro negativo, não seria necessário um terceiro teste em laboratório de referência para tirar a prova? 

Contradição 

O setor de saúde da Petrobrás precisa se decidir. Basta de brincar com a vida das pessoas. Não é possível trabalhar com ciência de acordo com o gosto do freguês, pois para eles alguns testes são válidos e outros não. 

Para piorar, os trabalhadores recém convocados foram repentinamente avisados da retomada de suas atividades e por telefone. Eles não passaram por qualquer consulta preventiva ou recomendação médica, um absurdo. 

A entidade que defende os petroleiros reafirma que há disparidade no tratamento e na atuação dos responsáveis. “Quando um petroleiro apresenta teste positivo a empresa exige contraprova e coloca em dúvida o resultado, mas quando testa negativo aí parece que é certeza absoluta”, explica Alexandro Guilherme Jorge, diretor do Sindipetro PR e SC. 

Convocar trabalhadores às pressas e nessa situação é como se a vida de cada petroleira ou petroleiro não valesse nada. Algo totalmente irresponsável, acobertado pela atual gestão Castello Branco e que deixa a categoria preocupada. 

Surreal 

A atitude da gestão da Repar significa dizer “e daí” para os números superlativos de óbitos oriundos do Covid-19 no Brasil. Só hoje (21/05), nas últimas 24h, foram 1.188 mortes, num total que já passou de 20 mil! 

Hoje os petroleiros sofrem com o descaso total da Petrobrás. Estão sem orientação de isolamento domiciliar, sem orientação e testes aos familiares e sem testes PCR para confirmar ou não o resultado positivo para Covid-19. 

Certa vez o diretor de cinema Marcelo Masagão precisava de um nome para seu filme que retratava a banalização da vida e da morte através de imagens do século XX. O longa é uma reflexiva obra de arte de um período que também serve para este momento histórico. 

Naquela época o diretor encontrou a frase perfeita para o seu trabalho: “Nós que Aqui Estamos por Vós Esperamos”. Parece que é isso que os gestores da Repar querem fazer com os trabalhadores em quarentena. 

Ah! Esse nome ele encontrou escrito na entrada de um cemitério.

Testagem a passos de tartaruga

Mesmo diante de vários trabalhadores com diagnóstico positivo para o novo coronavírus, a gestão da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), em Araucária, continua a agir de forma negligente. 

Na semana passada, quando surgiram os primeiros resultados positivos para Covid-19, foram testados os empregados do Grupo de Turno A. Já nesta semana foi a vez dos trabalhadores do Grupo E. 

Conforme o cronograma divulgado pela empresa, na semana que vem serão submetidos ao exame os funcionários do regime de horário administrativo. 

Neste ritmo lento, a conclusão da testagem de todo o quadro de empregados pode levar mais um mês. Infelizmente a gestão da refinaria atua com desprezo à vida e demonstra preocupação apenas com produção e lucro. Se morrer alguém, a resposta pode ser parecida com a do presidente: e daí?

[Via Sindipetro-PR/SC]

Última modificação em Sexta, 22 Maio 2020 14:37

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram