Petroleiros baianos confirmam disposição para a luta, com rejeição do ACT e aprovação de greve a partir de 26/10

Quinta, 10 Outubro 2019 17:09

Após quatro dias de assembleias, está sendo confirmado o resultado que aponta a rejeição da proposta intermediada pelo TST para o Acordo Coletivo de Trabalho e a aprovação de greve a partir da zero hora do dia 26/10. A AGE prossegue até o dia 17/10.

Já aconteceram assembleias nas unidades de Taquipe, Bálsamo, Imbé, Buracica, turma D do Temadre, Araças, Santiago, Transpetro Jequié e Itabuna.

Na sexta-feira (12) acontecem assembleias nas unidades da RLAM (turmas 1 e 4), turma C do Temadre, PBIO e Torre Pituba. Nessa última unidade, os trabalhadores estão passando por uma situação muito difícil e têm percebido que sem luta não há saída.

A cada assembleia ganha força o sentimento da categoria de que o momento não é de recuo. A atual gestão da Petrobrás está agindo de forma autoritária, sem transparência, assediando e pressionando a categoria para que vote de acordo com os interesses da empresa.

Mas a estratégia da Petrobrás não está dando resultado. Não podemos dizer que a presença da alta gerência nas assembleias não intimida a categoria. A pressão é grande. Mas o mais importante é que, apesar da presença da gerência, os petroleiros continuam votando de acordo com a sua consciência.

Na Bahia, devido ao quadro de desmonte da empresa, com encaminhamentos de demissões de terceirizados e concursados, estão sendo realizadas duas assembleias distintas: uma para deliberar sobre os indicativos da FUP e a outra para debater e decidir sobre os indicativos do Sindipetro Bahia que tem como pontos de discussão a deflagração de greve, a partir da zero hora do dia 26/10, pela garantia do emprego, manutenção dos postos de trabalho e da dignidade dos trabalhadores e  autorizar a entidade sindical a notificar o empregador na forma da Lei.

Já os indicativos da FUP, que estão sendo deliberados ´são os seguintes:

  • Rejeição da proposta apresentada pelo TST no dia 19/09;
    • Aprovação dos itens encaminhados ao TST, em 26/09, como melhoria à proposta do Tribunal;
    • Condicionar a assinatura da eventual aprovação das propostas às assinaturas dos acordos coletivos de trabalho das subsidiárias e da Araucária Nitrogenados;
    • Caso não ocorra negociação, greve a partir do zero hora do dia 26/10.

[Via Sindipetro-BA]

Última modificação em Quinta, 10 Outubro 2019 19:37

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram