Incêndio na Revap reflete desmonte da Petrobras

Segunda, 30 Setembro 2019 18:15

O incêndio que atingiu a Revap (Refinaria Henrique Lage), em São José dos Campos, neste domingo (29), é consequência da explosão de um tanque de resíduo de destilação à vácuo, ocorrida na sexta-feira (27). O Sindicato dos Petroleiros de São José dos Campos e Região está acompanhando a investigação de ambos os acidentes e denuncia a precarização da gestão de segurança da refinaria.

O produto derramado após a explosão foi contido no dique do tanque e nas canaletas, na parte interna da refinaria. Tudo indica que esse produto vazado pegou fogo no domingo. Ainda não se sabe o que iniciou as chamas. O Sindicato, no entanto, aponta que pode ter ocorrido falha na gestão do resíduo, que não teve o tratamento adequado após a explosão.

As chamas foram controladas por volta das 22h de domingo e não houve feridos. Causa estranhamento o fato de a Revap não ter citado a explosão do tanque em suas declarações à imprensa. Esta ocorrência é decisiva para esclarecer o acidente à população e aos trabalhadores da empresa.

Prestes a completar 66 anos de fundação, a Petrobrás vive hoje um dos momentos mais graves de sua histórica com as políticas de desinvestimento e privatização, aprofundadas pelo governo de Jair Bolsonaro (PLS).

“Mesmo sendo altamente lucrativa, a Petrobrás investe cada vez menos no refino. A consequência é o sucateamento e perda da efetividade de políticas de prevenção de acidentes, desenvolvidas durante anos. Este acidente é consequência disso. Exigimos mais investimentos, contratação de mão de obra e segurança na Revap”, afirma o Presidente do Sindicato dos Petroleiros, Rafael Prado.

[Via Sindipetro SJC]

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram