Petroleiros se mobilizam contra o fim da Previdência e da Petrobrás

Sexta, 22 Março 2019 15:10

Nesta sexta-feira, 22, Dia Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência, os petroleiros das bases da FUP se manifestaram em todo o país contra os ataques do governo Bolsonaro, que quer meter a mão na aposentadoria dos brasileiros, fazendo um ajuste fiscal às custas dos trabalhadores.

Outros ataques contra o povo brasileiro já estão em curso, como a Medida Provisória 873, editada durante o carnaval, cujo objetivo é asfixiar os sindicatos, que são as entidades que podem organizar e mobilizar os trabalhadores contra a retirada de direitos, as privatizações e demais ataques do governo Bolsonaro.

Os petroleiros são uma das categorias mais organizadas do país e, não foi por acaso, que os gestores do Sistema Petrobrás anunciaram a suspensão do desconto em folha das mensalidades sindicais no mesmo dia em que o presidente da empresa afirmou publicamente que a venda da estatal “foi sempre um sonho”.

Nos atos desta sexta-feira, os dirigentes da FUP enfatizaram que a luta contra o fim da Previdência Social está diretamente ligada à resistência aos ataques contra as organizações sindicais e as privatizações. 

> Veja as fotos abaixo

#LutePelaSuaAposentadoria

O que o governo está propondo não é reforma e sim o fim da previdência pública. Bolsonaro quer tirar da Constituição o direito à aposentadoria e a outros benefícios de seguridade social. O trabalhador terá que depositar parte de seu salário em um fundo individual que será administrado por bancos privados. Nem o governo e nem os patrões serão obrigados a contribuir. Os bancos, que já devem fortunas ao INSS, ainda receberão parte do salário dos trabalhadores para administrar o fundo. 

Os aposentados não terão a garantia de reajuste dos benefícios, como hoje é assegurado pela Constituição. E os que esperam se aposentar, terão que contribuir por 40 anos para poder garantir 100% do benefício.

Regime de capitalização levou chilenos ao suicídio

O regime de capitalização que o governo Bolsonaro quer aprovar ao acabar com a Previdência Social já fracassou em vários lugares do mundo. Pelo menos 18 países voltaram atrás e substituíram esse modelo. No Chile, o regime de capitalização, foi implantado em 1981, em plena ditadura militar, e o resultado é uma avalanche de suicídios entre os idosos que não conseguem sobreviver com os benefícios que recebem. Mais de 40% dos aposentados no Chile estão abaixo da linha de pobreza e 80% recebem benefícios de cerca de meio salário mínimo do país, o equivalente a R$ 694,00, que corresponde, em média, a 33% do salário quando estavam na ativa. 

Acompanhe aqui a cobertura da CUT, minuto a minuto, dos atos pelo país

709ce94a-7aa2-4986-9f78-9d9341ddc86e
2a9db6f7-7f28-4926-ab8c-8bede7f989a1
e4682832-7384-464d-98e8-9b7f1d70f1ef
34f4c7ee-cd24-4fb9-9cc3-dc3e2bdc08b9
f7ff30dd-cd6c-41be-8a76-55932206a6f5
c9a8ff4c-f0be-40af-bb25-a8b5cae8d74d
4ce912ac-41cf-4e4d-8386-85af69db8c9f
5588167722657445567814718929892222824873984o
5562887522657227401169868837446255824076800o
5559427322657082567851018945881939391283200o
5548018722657260201166586842916580897062912o
5443439722657021367857137825609320174714880o
533817402265703963452197290390787651272704o
fbda7faf-9001-4dca-8bdc-5b6b5159efdf
8aa272b9-407f-4fe3-a100-933c6aa5666a
0aab9e8d-0a0b-4416-b033-401a0a1ab6bb
b6d5e688-2748-4630-afda-12045889af03
aaae3e76-0cd6-49e6-a9ad-06745a6b0bb4
c5d5837f-7ae3-4055-82d4-bae53494b9e4
aaabca52-0b82-4a79-ab95-75cf881f2807
884a6c5b-7e28-43ef-bca5-f7f58065501b
848a8a71-1d74-42d4-a0b6-7a4ceae1e26d
43aa936a-7ed7-4f9f-8452-fb4722b06b3a
fcd1db3a-c3b7-4ff1-93ca-81e0b166f333
fcd1db3a-c3b7-4ff1-93ca-81e0b166f333-1
3140dc16-7822-4d39-967f-204ddbbf927e
0854f22d-4cbf-48bb-ab58-71ca3c32663f
4b7e3717-5f13-46de-bd05-73012ccc9417
4e18b811-2288-4910-bb2c-0c11026add68
e91950b0-ce7c-4f5a-8291-567a2f9ee69f
e808a409-31f9-43d9-91ca-48af647771fb
dc0d2a97-f94e-43f2-a0ad-8abbc57e01b9
add8de7a-4c39-4db9-a31e-855c698d9c36
88c6d9f9-bd58-4d66-b361-b5151b402690
fb3d48d5-6e5f-4998-9c96-5135d070cff2
907fe37f-eb6e-4359-a194-75fff9b9e98d
473a6db7-07f8-447d-8662-4b3c9d966d82
80ab1680-162c-4666-822b-ced9598629b3
1e214842-47ae-4fed-a243-90b0d5b861bf
fcd1db3a-c3b7-4ff1-93ca-81e0b166f333
e96dabbc-6d06-462c-a8a0-beda6013cd2c
3567e671-c696-4d56-af76-07e9aea2d457
873a028a-3c44-4308-a60c-34067f24aa39
062c4c34-bc0e-408d-81a3-a2d39c8f2713
8a40b03a-0f9c-4f8c-933a-be629a9bac32
2bdfa5b0-f043-4526-abca-7b9b913a6658
2b9bf9bf-11e3-4a9e-98b9-bac387ec3cac
894727cb-f7ce-46ab-9d9e-fa76e1888e03
be19ae45-72f1-431a-a312-f850457c84d2
84582b3f-187e-4b73-99e7-dc89ab996fed
54a0a290-2505-46c0-81bc-c107d99f0bcd
a103797c-0b4c-4da8-aa80-c974fcb3afec
f406bc21-4ddf-4b7f-acdf-9eafc5eb562a
6b743f30-ce03-4a07-89f6-04d6c83e39d1
1c9c8e016dccf7933176a62faab3df3f

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram